#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios

Lei do Ex: A única que funciona no Brasil

O Botafogo foi derrotado pelo Avaí por 2 a 0, em partida disputada na noite desta segunda-feira, no estádio Nilton Santos, no encerramento da décima rodada do Campeonato Brasileiro. O time de General Severiano segue com 15 pontos, mas caiu para a oitava posição. O Avaí, que alcançou a segunda vitória na competição, chegou aos oito pontos ganhos e deixou a lanterna para o Atlético Goianiense. Joel, ex- Botafogo, foi o carrasco da sua ex-equipe, marcando os dois gols da equipe catarinense. Na próxima rodada, o Botafogo vai enfrentar o Corinthians, em São Paulo. O Avaí vai receber a Ponte Preta, em Florianópolis.
No primeiro ataque organizado, aos cinco minutos, o Avaí marcou o primeiro gol. Juan cruzou da esquerda e Pedro Castro completou, mas a bola acabou nos pés de Joel que chutou em cima de Igor Rabelo. No rebote, o mesmo Joel mandou para as redes defendidas por Gatito. O meia Montillo que começava como titular depois de muito tempo, sentiu uma lesão na panturrilha e foi obrigado a deixar o campo aos sete minutos. Guilherme entrou no lugar do argentino. Aos 16 minutos, novamente Joel. O camaronês recebeu uma bola escorada por Pedro Castro e chutou para marcar o segundo gol do Avaí. Um minuto depois, o Botafogo quase marcou o primeiro gol quando Camilo cabeceou, por cima da trave, um cruzamento de Rodrigo Pimpão. Aos 19 minutos, o time carioca chegou outra vez na área com uma conclusão de Rodrigo Lindoso. Aos 21, foi a vez de Arnaldo mandar uma bomba, mas Douglas fez grande defesa. Três minutos depois, foi a vez de Roger cabecear com perigo. Aos 28 minutos, Capa quase marcou contra, após cruzamento de Victor Luis. Aos 38 minutos, após cruzamento na área, Marcelo concluiu, a bola bateu na zaga e ficou livre para Igor Rabello, na entrada da pequena área, mas o zagueiro chutou por cima do travessão.
No último lance do primeiro tempo, Guilherme lançou Pimpão na corrida, mas o goleiro Douglas chegou primeiro e ficou com a bola.
No segundo tempo, aos cinco minutos, Rodrigo Pimpão fez bom lançamento para Roger na área, mas o atacante não conseguiu dominar a bola. Aos nove minutos, Rômulo foi lançado na corrida, Victor Luis chegou primeiro, tentou atrasar para Gatito Fernándes, mas cabeceou fraco e Rômulo chegou antes do goleiro, mas concluiu para fora. Aos 18 minutos, Bruno Silva tocou para Camilo, que fez ótimo para a entrada de Rodrigo Lindoso. O volante tentou encobrir o goleiro do Avaí e mandou para fora. Um minuto depois, Pimpão cruzou e Roger, que cabeceou nas mãos de Douglas. Aos 26 minutos, o goleiro do Avaí voltou a aparecer bem ao defender chute forte de Rodrigo Lindoso. Aos 35 minutos.l, Júnior Dutra recebeu na intermediária, se livrou da marcação e chutou forte. Gatito ainda desviou, mas a bola se chocou com a trave do time carioca. Aos 44 minutos, Bruno Silva recebeu na área e chutou forte, mas mandou para fora. Nos acréscimos, o goleiro Douglas fez três defesas seguidas em chutes de Guilherme, Leandrinho e Rodrigo Pimpão, de bicicleta. Não era dia. Foi mais um dia
daquelas histórias que somente acontecem no Botafogo.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO-RJ 0 X 2 AVAÍ-SC

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 26 de junho de 2017 (Segunda-feira)
Horário: 20h(de Brasília)
Público: 20.396 pagantes
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (RN)
Assistentes: Flávio Gomes Barroca (RN) e Vinicius Melo de Lima (RN)
Cartão Amarelo: Igor Rabello(Bota) ;Douglas, Leandro Silva, Luan(Av)
Gols: AVAÍ: Joel aos cinco e16 minutos do primeiro tempo

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Arnaldo, Marcelo, Igor Rabello(Pachu)e Víctor Luís; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, Camilo(Leandrinho) e Montillo(Guilherme); Rodrigo Pimpão e Roger
Técnico: Jair Ventura

AVAÍ: Douglas, Leandro Silva, Airton, Betão e Capa; Judson(Wellington Simião), Luan, Pedro Castro e Juan(Diego Tavares); Rômulo e Joel(Júnior Dutra)
Técnico: Claudinei Oliveira

A assinatura de contrato para as Rádios AM de São Paulo operarem em FM

Parada AM: Representantes de 36 emissoras de rádio do Estado de São Paulo assinaram, na última sexta-feira (23), no Palácio dos Bandeirantes, os termos aditivos para migrar do AM ao FM. O procedimento é um dos últimos passos rumo à operação na nova frequência. O governador Geraldo Alckmin recebeu líderes do setor e destacou a importância da iniciativa.
“A radiodifusão é importantíssima para a sociedade brasileira. Hoje é um grande dia de conquista para São Paulo, com a migração de um número significativo de rádios. Ganha o ouvinte, em qualidade. Nós teremos uma audiência ainda maior, além da interação com o telefone celular e a internet”, ressaltou o governador.
Após a assinatura, as emissoras precisam realizar o projeto de instalação e obter a aprovação de local e uso de radiofrequência. O mutirão do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações tem o objetivo de acelerar o processo em todo o Brasil.
De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), Paulo Tonet Camargo, o Brasil avança na desburocratização da radiodifusão e nos benefícios aos ouvintes. “A qualidade de áudio é essencial para a atividade do rádio, de transmitir notícia, serviços e lazer”, afirmou.
Mais de 500 veículos de comunicação já assinaram o termo aditivo de adaptação das outorgas. Outros estados do país realizaram o procedimento. No total, cerca de 1.500 rádios AM, das 1.781 existentes no Brasil, solicitaram a migração para a FM. Na primeira etapa, cerca de mil emissoras poderão operar na faixa atual de FM, de 88 a 108 MHz. As demais empresas terão que esperar concluir o processo de digitalização da TV para a liberação da faixa estendida, de 76 até 108 MHz.
Este texto contou com o informações do governo do estado de São Paulo.

Cuca pede, Crefisa paga, depende apenas de Diego Souza a volta ao Palmeiras

O Palmeiras buscou por Richarlison como reforço para o ataque, mas a negociação foi mal sucedida e ele permaneceu no Fluminense. O atual campeão brasileiro então tem um novo nome na mira para o ataque. Diego Souza, do Sport, se tornou o grande desejo da comissão técnica de Cuca para reforçar o elenco para o segundo semestre. O nome do atacante, campeão paulista com a camisa alviverde em 2008, possui a aprovação de Cuca e da comissão técnica, que olha para o experiente atleta como uma alternativa para atuar como referência no ataque; no caso, um 'falso 9', em substituição a Gabriel Jesus, que deixou o Palestra em dezembro para atuar no Manchester City.
Palmeiras já iniciou conversas nos bastidores para viabilizar o negócio. Diego Souza atuou em cinco jogos neste Campeonato Brasileiro, número que permite a transferência para outro time do país. Basta a Crefisa depositar R$ 12 milhões, valor da multa, na conta do Sport. E levar Diego Souza. A patrocinadora aceita pagar. Cuca quer o meia. A transação só depende do jogador. Se ele disser sim, o jogador da Seleção voltará ao Palmeiras.
Diego Souza possui um passado atribulado na Academia de Futebol. Apesar do título paulista de 2008 sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, atual técnico do atacante no Sport, o jogador deixou o clube alviverde no ano de 2010 de maneira conturbada. Criticado por torcedores ao ser substituído na partida contra o Atlético-GO, válido pela Copa do Brasil daquele ano, Diego Souza respondeu de forma agressiva aos xingamentos e chegou até a mostrar o dedo médio ao público no antigo Palestra Itália. A partir deste caso, Diego Souza acabou afastado do elenco e negociado posteriormente com o Atlético-MG, clube no qual atuou por pouco mais de seis meses. O atacante de 32 anos defende o Sport desde o ano passado e hoje faz parte do grupo de Tite na seleção brasileira. 
Por outro lado, Diego Souza é muito identificado com o Sport. Na temporada passada, chegou a passar três meses no Fluminense, mas decidiu retornar alegando que sua felicidade estava na Ilha do Retiro. Também em 2016, recusou propostas - uma do Corinthians, inclusive - e renovou contrato com o clube pernambucano, pelo qual tem 49 gols e 146 jogos. Nesta quarta-feira, o camisa 87 disputa a final do Campeonato Pernambucano, contra o Salgueiro.

Centurión quer ficar no Boca Juniors: "Meu desejo é seguir com esta família"

Ricardo Centurión, com a camisa 10 do Boca Juniors, herdada após a saída de Carlos Tévez, foi o craque da conquista do Campeonato Argentino e agora vê o clube de Buenos Aires iniciar investida para segurá-lo. O Tricolor, no entanto, não pretende facilitar nas negociações. O Boca pretende, já nos próximos dias, enviar uma proposta de prorrogação do empréstimo que acaba em 30 de junho para 31 de dezembro. A ideia é pagar por essa extensão para ganhar tempo de ver se Centurión seguirá em alta e de ter condições financeiras de bancar o valor pedido pelos são-paulinos para compra: 6 milhões de dólares.
Os argentinos consideram a pedida alta demais e um investimento arriscado pelo histórico problemático de Centurión fora de campo. Dentro das quatro linhas, porém, o desempenho do meia-atacante deixa os dirigentes xeneizes pressionados. Tanto pelo técnico Guillermo Schelotto, que põe o camisa 10 como imprescindível para o elenco, quanto pela torcida, que carregou o novo ídolo pelas ruas após a confirmação do título argentino no início desta semana.
Do lado brasileiro, prorrogar o empréstimo por tão pouco tempo não é algo atraente. O desejo tricolor é vender Centurión para seguir o processo de recuperação das finanças sem que o já bastante modificado elenco de Rogério Ceni não tenha mais nenhuma baixa importante. No câmbio da época, o São Paulo pagou R$ 13 milhões ao Racing para ter Centurión em fevereiro de 2015. O investimento foi bancado por Vinicius Pinotti, antes do empresário ganhar força política no clube e, dois anos depois, ser nomeado diretor-executivo de futebol.
O Boca tentará usar os momentos ruins do meia no Morumbi para convencer os paulistas de que pode ser uma vitrine para uma venda até maior ao fim do novo empréstimo. Cita, por exemplo, que o jogador está nos planos de Jorge Sampaoli para a seleção argentina para fundamentar a teoria de que deixará Centurión ainda mais valorizado. No título argentino, Centurión fez 21 das 30 partidas e marcou oito gols. O último deles foi na rodada final, abrindo os 3 a 0 sobre o Olimpo. O meia-atacante estava de touca protetora após corte no supercílio e a raça no lance foi exaltada por Schelotto: "Ele tem o sangue do Boca". Abre Aspas para Centurión na festa do título, o qual foi uma das peças mais importantes nesta conquista:
“Meu desejo é seguir com esta família, mas não depende de mim. Espero que ambas as partes fazem o melhor e que eu possa continuar neste clube que eu quero."

Levir Culpi: "A sequência de campeonatos será desgastante"

O Santos retorna a campo pelo Campeonato Brasileiro somente na próxima semana. Levir Culpi contará com uma semana de trabalho antes do compromisso de sábado contra o Atlético-GO, em Goiânia. Antes do duelo pela 11ª rodada da Série A no Centro-Oeste brasileiro, um jogo de grande porte: o Flamengo na quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), fora de casa, pelas quartas de final da Copa do Brasil.
A equipe praiana perdeu a invencibilidade sob o comando de Levir Culpi no último sábado, em derrota por 1 a 0 para o Sport, na Vila Belmiro. O treinador fez questão de cobrar uma evolução técnica da equipe publicamente na coletiva pós jogo. Abre Aspas para Levir Culpi:
"Temos elenco suficiente para o que vem pela frente, mas não jogando desta maneira. Conversei com o grupo que o rendimento era pouco para o que estamos esperando. Vamos buscar melhorar. A sequência de campeonatos será desgastante, e nós teremos jogos mais difíceis do que este. Temos que brilhar em momentos dos jogos e vamos em busca disso. Vi o Santos tendo quatro grandes chances, mas sem finalizar com sucesso. A vitória do Sport foi merecida. Mas, se considerarmos as oportunidades, quem esteve mais próximo da vitória foi o Santos. Não fomos efetivos, e eles conseguiram colocar para dentro".

Corinthans divulga programação e relacionados para a Sul-Americana


Maycon, Jadson e Jô são os nomes que ficaram foram da lista dos 20 corinthianos que viajam para a Colômbia enfrentar o Patriotas, na Quarta-feira, 28, as 21h45, na partida de ida na segunda fase da Copa Sul-Americana. Camacho, como segundo volante, Marquinhos Gabriel e Kazim devem ser os substitutos do trio na equipe titular. Ainda existe a possibilidade de nomes como Arana e Fagner iniciarem o duelo no banco de reservas. Carille não poderá contar com Clayson, pois o atacante já atuou pela Ponte Preta na competição e, por regulamento, não pode ser inscrito por outro clube.
Os relacionados para a viagem a Colômbia são:
Goleiros: Cássio, Walter e Caíque França;
Laterais: Moisés, Guilherme Arana e Fagner;
Zagueiros: Pablo, Balbuena e Pedro Henrique;
Volantes: Gabriel, Fellipe Bastos, Camacho e Paulo Roberto;
Meias: Rodriguinho, Giovanni Augusto e Marquinhos Gabriel;
Atacantes: Clayton, Romero, Kazim e Pedrinho;

26/06/2017 – A delegação irá dividida em dois voos:
1ª parte (alguns integrantes da comissão técnica) – saída do Aeroporto Internacional de Guarulhos às 8h30. Chegada prevista à Bogotá: 12h00 (horário local). Após almoço, saída para Hotel Estelar em Paipas. Voo 4000 Avianca

2ª parte (atletas e restante da comissão técnica) – saída do Aeroporto Internacional de Guarulhos às 14:50. Chegada prevista à Bogotá: 19:10 (horário local). Após jantar, saída para o Hotel Estelar em Paipas. Voo 8000 TAM.

27/06/2017 – Saída do hotel Estelar para o treino às 18h20 (horário local). Chegada prevista ao estádio La Independencia às 19h00 (horário local). Inicio do treino às 19h30 (horário local). Após às atividades, coletiva de imprensa do treinador Fabio Carille.

28/06/2017 – Saída do hotel Estelar para o Estádio La Independencia às 17h10 (horário local). Após o jogo a delegação completa irá para Bogotá, onde ficará hospedada no hotel Sheraton.

29/06/2017 – Saída do hotel Sheraton Bogotá às 13h00 (horário local). Voo 249 Avianca às 15h00. Chegada prevista ao Aeroporto Internacional de Guarulhos às 23h20.

Foto: Daniel Augusto / Agência Corinthians

Série D: Portuguesa esta eliminada da última divisão do Campeonato Brasileiro

A parte mais tenebrosa da história da Portuguesa foi iniciada com a queda da Série A, em 2013, causada pelo Caso Hevérton, quando a escalação irregular do meia-atacante na última rodada fez o clube perder quatro pontos e fechar o campeonato na zona da degola. No ano seguinte, o time caiu da Série B para a Série C. Em 2015, a queda foi da Série A-1 para a A-2 do Paulistão (neste ano, se livrou de nova queda no estadual na última rodada). No ano passado, o rebaixamento foi o mais vexatório: da Série C para a D, a última divisão nacional. Com a derrota por 1 a 0 para a Desportiva Ferroviária, neste domingo, no Espírito Santo, a equipe está fora da Série D, a quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Com mais essa eliminação, até o fim da temporada o clube só tem como compromisso a disputa da Copa Paulista, competição que reúne pequenos do futebol do estado de São Paulo - a Lusa estreia domingo, às 10h, contra a Portuguesa Santista. Para voltar a disputar uma competição nacional no ano que vem, a Lusa precisará ser pelo menos vice da Copa Paulista. O campeão escolhe entre Copa do Brasil ou Série D. O vice fica com a competição que sobrar.
Na última partida da primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro, a Portuguesa foi derrotada pelo Desportivo Brasil por 1 a 0 fora de casa e acabou eliminada da competição na lanterna do Grupo A13. O gol da Desportiva aconteceu logo aos 3 minutos da primeira etapa. Weldon fez jogada individual, invadiu a área da Lusa e tocou para trás. Na velocidade, Edinho entrou chutando forte e marcou para os donos da casa. Depois de muita pressão e quase dois gols olímpicos da Portuguesa, a Desportiva conseguiu segurar o resultado, mesmo após a expulsão do zagueiro Rodrigo Lacraia aos 42 da etapa complementar. A equipe chegou aos oito pontos na chave e ia se classificando para a próxima fase, mas um gol do Campinense aos 47 minutos do segundo tempo contra o Atlético-PE deu a classificação à equipe do Grupo A8, que entrou na vaga dos melhores segundos colocados.
Pelo Grupo A13, que teve a Lusa na lanterna e a Desportiva na vice-liderança, quem se classificou na primeira posição foi o Villa Nova-MG, que empatou com o Bangu em 1 a 1 e se garantiu na liderança.
Além da Desportiva, quem também ficou de fora como pior segundo colocado foi o Inter de Lages, que acabou com sete pontos na segunda posição do grupo A16, liderado pelo São Bernardo.

Confira todos os classificados para a próxima fase até então:

Grupo A1: Atlético-AC e Princesa do Solimões
Grupo A2: Gurupi e São Raimundo-PA
Grupo A3: Rio Branco-AC e São Francisco-PA
Grupo A4: Santos-AP e Altos
Grupo A5: Guarany de Sobral e Maranhão
Grupo A6: Globo e Parbahyba
Grupo A7: Juazeirense e Sousa
Grupo A8: Fluminense de Feira-BA e Campinense
Grupo A9: América-RN e Jacobina
Grupo A10: Ceilândia e Comercial-MS
Grupo A11: União Rondonópolis e Aparecidense
Grupo A12: Portuguesa-RJ e URT
Grupo A13: Villa Nova-MG
Grupo A14: Boavista e Espírito Santos
Grupo A15: Operário-PR e XV de Piracicaba
Grupo A16: São Bernardo
Grupo A17: São José-RS e Metropolitano