#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » Clubes pensam em adotar o calendário europeu. Nada mais inteligente.

O futebol brasileiro poderá adotar o calendário europeu

Uma boa notícia poderá ser dada nos próximos meses. Na última segunda-feira, na sede da CBF, os representantes dos principais clubes do país se reuniram e pautaram a mudança do pouco inteligente calendário brasileiro para o calendário europeu. Se for confirmada a mudança, será uma excelente notícia para quem gosta de futebol.

O calendário brasileiro é péssimo e nada funcional. Os clubes jogam nas “Datas FIFA”, os desinteressantes campeonatos estaduais ocupam dezenove datas, e quem joga a Copa do Brasil, não pode jogar a Sul-Americana. Sem contar que no meio do ano, os principais jogadores do país batem as asas para o exterior, pois é nesse período que a janela de transferência mais bomba.

Além da mudança de calendário, é importante pensarmos em melhorar as competições. Não quero ser presunçoso, mas eu gostaria de dar algumas sugestões que julgo que pode ser importante para o crescimento do futebol brasileiro e sul-americano. São apenas ideias. Nada mais.

Conmebol:

- Acredito que se a CBF, a Rede Globo e os clubes se unirem em torno da mudança de calendário, não tenho dúvidas que a Conmebol seguirá o mesmo caminho. Não existe futebol sul-americano sem o futebol brasileiro;

- A Libertadores e a Sul-Americana seriam disputadas simultaneamente.

Copa Libertadores da América (agosto/2016 a maio/2017):

- A principal competição do continente seria disputada nas mesmas datas da Champions League, exceto as duas partidas das finais. A fórmula de disputa seria a mesma: fase de grupos e "mata-mata"; 

- Mudança do nome da competição. De “Copa” para “Liga”. É inegável que o nome “Liga” passa uma imagem mais profissional;

- Os clubes mexicanos não seriam mais convidados. Primeiro porque não fazem parte da Conmebol. O “convite” passa uma imagem de amadorismo. E segundo porque a Federação Mexicana não envia suas melhores equipes. Portanto, a participação de clubes mexicanos é totalmente desnecessária;

- Acabaria com a “Pré-Libertadores”. Na Europa, é justificável a disputa de uma fase preliminar da Champions, devido ao grande número de confederações filiadas à UEFA. Mas a Conmebol só tem dez países e a eliminação nessa fase ocasiona um grande prejuízo financeiro a esses clubes;

- O Brasil teria direito a cinco vagas, assim como a Argentina. Uruguaios, paraguaios, colombianos, equatorianos e chilenos seriam agraciados com três vagas cada. Bolivianos, venezuelanos e peruanos ficariam com duas vagas cada. O campeão da Libertadores completaria a lista. O campeão da Sul-Americana, assim como é feito hoje, ocuparia uma das vagas de seu país. 

Copa Sul-Americana (agosto/2016 a maio/2017):

- A segunda competição do continente seria disputada nas mesmas datas da Liga Europa exceto as duas partidas das finais. Assim como a Libertadores, o torneio teria 32 times. A fórmula de disputa seria “mata-mata”; 

- Mudança do nome da competição. De “Copa” para “Liga”. É inegável que o nome “Liga” passa uma imagem mais profissional;

- O Brasil teria direito a quatro vagas, assim como a Argentina. Os demais países filiados à Conmebol seriam agraciados com três vagas para cada um;

- Os clubes que disputarem a Sul-Americana poderiam disputar a Copa do Brasil normalmente.

Recopa Sul-Americana (julho/2016):

- Poderia ser realizada na mesma semana da Supercopa Europeia. Assim como o torneio europeu, poderia ser disputada em um jogo único e em um campo neutro. Que tal o campeão da Libertadores enfrentar o campeão da Sul-Americana nos Estados Unidos, em um sábado, às 22h? A data e o horário atingiria o mercado estadunidense e asiático.

Seleções:

- A Copa América seria disputada sem os países da Concacaf;

- A competição seria disputada a cada quatro anos, e no ano seguinte a Copa do Mundo;

- O campeão da Copa América garantirá uma vaga para a Copa das Confederações e para a Copa do Mundo;

- O torneio teria a participação de oito países divididos em dois grupos de quatro (país sede e as sete melhores seleções das Eliminatórias);

- As eliminatórias continuariam do mesmo jeito, exceto pela ausência do campeão da Copa América que estaria automaticamente classificado para a Copa do Mundo.

CBF:

- A CBF poderia montar o calendário pensando no calendário inglês, sem dúvida, o mais rentável. É claro, que teríamos que fazer algumas adaptações como no caso do “Box Day”, mas nada que não dê para fazer. O mais legal de tudo isso, é que as “Datas FIFA” seriam respeitadas.

Brasileirão (agosto/2016 a maio/2017):

- “Pontos corridos” é a melhor fórmula de disputa para um campeonato. Além de ser mais justa, faz com que todas as equipes profissionais tenham um calendário para o ano inteiro, facilitando assim, o planejamento financeiro.

- Poderia ser estudado um novo nome para a competição;

- A principal competição do país seria disputada nas mesmas datas da Premier League, exceto as rodadas marcadas entre o Natal e o Ano Novo. Isso seria possível com a redução de 20 para 18 equipes. Com quatro rodadas a menos, o campeonato poderia ser paralisado para as festas de fim de ano;

- Um campeonato com dezoito equipes é nivelado por cima. As quatro melhores equipes se classificariam para a Libertadores. As equipes classificadas entre o quinto e oitavo lugar disputariam a Sul-Americana. As três últimas colocadas estariam rebaixadas para a Série B;

- As Séries B, C e D, seriam disputadas por dezesseis equipes. As três melhores sobem e as três piores seriam rebaixadas;

- Criação da Série E com todas as equipes restantes do futebol brasileiros. Seriam divididas em grupos regionalizados, valendo três vagas para a Série D;

- O único critério de desempate para todas as divisões, seria a colocação no ano anterior, assim todos os jogos seriam importantes;

- Fim do STJD e a criação de um Tribunal de penas;

- Padronização do corte dos gramados;

- Punição severa aos vândalos disfarçados de torcedores.

Estaduais (julho a novembro/2016):

- Os campeonatos estaduais fazem parte da história do futebol brasileiro e não podem acabar. Esses campeonatos devem ser adaptados à nova realidade;

- As equipes mais tradicionais devem entrar na fase de quartas-de-finais;

- Uma fase de grupos poderia ser disputada em julho. Exemplo: O atual Paulistão da Série A1 é disputado por 20 equipes. Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos entrariam nas quartas-de-finais. Os outros dezesseis times jogariam em julho. Poderiam ser divididos em quatro grupos de quatro em turno e returno. Os campeões de cada grupo se classificariam para as quartas-de-finais. O último colocado de cada grupo seria rebaixado;

- Os campeões estaduais e os cinco vices-campeões das federações de melhor ranking estariam classificados para a Copa do Brasil.

Copa do Brasil (janeiro a maio/2017):

- As 32 equipes disputariam um “mata-mata” valendo uma vaga para a Liga Libertadores da América;

- Os clubes que disputarem a Copa do Brasil poderiam disputar a Sul-Americana normalmente;

- Final em jogo único (Brasília).

Mundial de Clubes (dezembro/2016):

- Continuaria do mesmo jeito.

Férias e Pré-temporada (maio a agosto/2016):

- 30 dias de férias;

- Excursões pelo mundo;

- Supercopa do Brasil (jogo único em Brasília). Jogo que abriria a temporada. O campeão brasileiro contra o campeão da Copa do Brasil.

- Torneio Rio-São Paulo, Copa Sul-Minas, Copa Verde e Copa Nordeste. Seriam torneios com o propósito de preparar os times para a temporada, além de gerar receitas. Não valeria vaga para nenhuma outra competição.

TV:

- A situação é bastante complicada, mas o ideal seria que as partidas realizadas durante a semana não se iniciassem após às 21h;

- As emissoras donas dos direitos de transmissão deveriam respeitar os naming rights.


Duca Reis é jornalista e radialista e escreve todas às segundas e quintas para o Portal da Rede Contínua

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

6 comentários:

  1. Fórmula muito melhor que a atual. Faria algumas modificações (sugestões):
    - Série A, B e C - 16 clubes (sobe 4 desce 4)
    - Séries D, E - 20 clubes (sobe 4, desce 4)
    - Série F - 32 clubes (sobe 4) - via estaduais (27 estaduais + 4 caíram da E + 1 CBF)
    - Copa do Brasil - 64 clubes (1ª fase 16 x 4 cubes em sede única) classificam 1º e 2º daí pra frente mata mata semelhante à atual Série D
    - Ligas regionais (Nordeste, Verde - norte centro oeste, Sul e Sudeste - 20 clubes cada - campeão vaga na Sul Americana.

    ResponderExcluir
  2. Acesso às Ligas regionais via estaduais, com o melhores ranqueados entrando nas quarta de final.

    ResponderExcluir
  3. Cara, você só esqueceu do verão, jogos em Janeiro beira o impraticável. E eu sou contra pontos corridos, mas cada um com a sua opinião.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, até que em fim, o Brasil vai ter um futebol grande...

    ResponderExcluir
  5. Muito bom, até que em fim, o Brasil vai ter um futebol grande...

    ResponderExcluir
  6. Nos jogos onde a final seria jogo único, ao invés de ser só em Brasilia, eles poderiam ser definido 1 ano antes onde seria jogado. Tipo os da champions league.

    ResponderExcluir