#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » Elenco do São Paulo não quer mais Muricy


Por Guilherme Silva (@silvaguis) em 28/03/2015

Volto a escrever nessa minha coluna após férias e um tempo de aperfeiçoamento. E volto para comentar e informar sobre os bastidores e a crise no São Paulo.

Na última quinta-feira, após outro vexame diante de um clássico, o técnico Muricy Ramalho e dirigentes Tricolores se reuniram para discutirem o atual momento da equipe. Na reunião, Muricy colocou o seu cargo à disposição (aceitando, de forma amigável, uma possível demissão), mas Ataíde Gil Guerreiro, vice-presidente de futebol, não aceitou dizendo que não acredita que o problema do clube é o técnico, e prometeu uma cobrança mais dura nos jogadores, principalmente nos mais experientes.

Analisando toda essa situação é fácil notar que Muricy já perdeu o comando do time. Quis, inclusive, pular do barco. E não é de hoje. Fontes me informaram que o elenco do São Paulo não reagiu bem à saída de Álvaro Pereira do clube, pois o jogador que fez um ano espetacular de 2014 na lateral-esquerda ouviu no fim da temporada pela boca de Muricy Ramalho que ele não seria o titular para 2015. Muitos jogadores são-paulinos acharam a atitude desonesta.

Álvaro, antes de acertar sua ida para o Estudiantes da Argentina, conversou com seus ex-colegas do clube, um deles foi Rogério Ceni. O ídolo e capitão foi quem telefonou para o lateral, pedindo para que ele ficasse e que sua permanência seria muito importante. A resposta foi a que todos nós sabemos, o “não” seguido da justificativa que não interessava ficar para ser reserva.

Esse acontecimento gerou todo um mal-estar e dividiu o vestiário: aqueles que receberam bem Carlinhos (substituto do uruguaio) e os que até agora olham com olhos tortos para Muricy Ramalho pela decisão julgada pela maioria como incorreta, injusta e desonesta.


O elenco do São Paulo não quer mais Muricy e ele sabe disso. A diretoria tenta amenizar e unir novamente as partes. E até agora a atitude da diretoria tem sido em vão, mas a pergunta: até quando o São Paulo vai sofrer com isso? Libertadores podem esquecer.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply