#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » Santos Futebol Clube de Várzea?

Quando eu achava que já tinha visto de tudo no futebol, aparece o Santos e comete uma das maiores injustiças da história recente do futebol brasileiro. A demissão do técnico Enderson Moreira, ontem pela manhã, beirou o inacreditável.

A versão oficial do Santos diz que houve uma reunião entre o presidente do peixe, Modesto Roma Junior e o treinador, Enderson Moreira, ontem pela manhã. Após aproximadamente uma hora de bate-papo, ficou definido que em comum acordo o melhor para o Santos seria a saída do treinador. Vale destacar que o Santos disputou sete partidas neste ano, venceu cinco e empatou duas. Portanto ainda está invicto na temporada.

Só que em contra partida à nota oficial, vários jornalistas que cobrem o dia-a-dia do peixe disseram que não foi tão amigável assim a queda do Enderson. Ao que tudo indica, o motivo da demissão é estarrecedor. Tudo indica que o treinador foi demitido pois cobrava demais dos jogadores da base. Segundo os mimadinhos jogadores, Enderson abusava de palavrões e gritos humilhantes para pedir melhor atenção, melhor passe, melhor finalização.

Vocês me desculpem o clichê, mas é gol da Alemanha.

Ora, bolas. Que país do futebol é esse onde a cobrança do técnico sobre um jogador vira motivo para demissão? Todo treinador deve sim cobrar os jogadores do seu plantel de maneira rigorosa. Ele cobra pelo bem do time. Para tirar o melhor de cada atleta. E dentro de campo, essa cobrança estava dando resultado. O Santos é líder absoluto de seu grupo e goleou seus dois últimos adversários no Paulistão, Portuguesa e Linense.


Ontem, o comentarista da Globo, Caio Ribeiro, deu embasamento a essa minha tese. Ele disse durante o programa Arena Sportv, que o mestre Telê Santana foi o treinador que mais o cobrou durante toda a carreira de atleta de futebol. Caio afirmou que o Telê era insuportável. Reclamava, xingava, cobrava, atormentava todo o elenco do São Paulo. Ao ser questionado pelo apresentador Alexandre Oliveira, se essa cobrança o havia prejudicado - pois ainda era um jovem jogador recém-subido da base -, Caio arrematou dizendo que “não e que Telê foi o melhor técnico com quem trabalhou”.

É muito simples. Treinador cobra e os jogadores obedecem. É essa a hierarquia. Se o jogador não quiser obedecer está fadado a se tornar um André, ex-jogador do próprio Santos, marrento, estrelinha, que hoje está encostado no Atlético Mineiro onde é contestado pela imprensa e pela torcida.
 
Me preocupa e muito o fato da diretoria do Santos passar a mão na cabeça desses jogadores talentosos da base do clube . Eu explico. Há quem garanta que Enderson Moreira começou a ser fritado no Santos, pelos empresários do atacante Gabriel e pela diretoria alvinegra, quando este ficou no banco de reservas enquanto Leandro Damião era titular.

Quem é Gabriel para merecer tamanha bajulação? Leandro Damião custou mais de 40 milhões de reais aos cofres do Peixe, ele foi campeão da Taça Libertadores com o Inter, fez gol na decisão e chegou a seleção profissional. Enquanto o Gabriel disputou um campeonato sul-americano com a seleção sub-20 e não jogou porcaria nenhuma. É óbvio que é muito cedo e pode ser que ele tenha um futuro parecido com o do Neymar, mas nessa toada, não estão criando um ídolo, estão criando um monstro. Por enquanto o Gabriel que se contente em esquentar o banco de reservas, porque o Ricardo Oliveira é muito melhor do que ele.

E agora, José, quem será o novo técnico do peixe? Por enquanto quem comanda a equipe é o auxiliar técnico Marcelo Fernandes. Os nomes de Mano Menezes e Abel Braga são muito comentados. E para desespero da diretoria santista, nenhum dos dois é muito chegado em categorias de base. Dorival Junior e Vagner Mancini também estão na briga. E até Claudinei Oliveira. Será que ele voltaria para o Santos depois de ter sido tão criticado na sua passagem anterior? Só o tempo dirá.

O futuro não dá pra saber, mas o passado dá e eu vi um cenário assustador. O Santos nos últimos dois anos vendeu Neymar numa transferência obscura, ficou sem patrocínio máster de camisa, contratou Leandro Damião por mais de 40 milhões de reais, demitiu Oswaldo de Oliveira após uma vitória contra o Botafogo, não consegue colocar mais de 10 mil torcedores na Vila Belmiro, trocou de presidente após uma eleição polêmica repleta de problemas de fraude, perdeu Arouca para o Palmeiras por falta de pagamento, foi acionado na justiça por diversos jogadores e agora demite o treinador que tinha conquistado cinco vitórias nos sete primeiros jogos do Campeonato Paulista.

Tá na hora do Santos repensar suas atitudes. É o time do Pelé. A maior camisa de time de futebol do Brasil. Não é o Jabaquara. Não é time de várzea. Tem que pensar grande. Tá na hora do Modesto Roma Junior colocar ordem na casa. Como eu já disse a algumas linhas acima, não dá para prever o futuro, mas dá pra sentir que nesse embalo, o Santos caminha a passos largos para o seu primeiro rebaixamento. Que eu esteja errado. E nem venham me cobrar, pois pelo menos para o Santos, não existe cobrança no futebol.    

Victor Rodriguez é narrador e escreve todos às terças e sextas para o portal da Rede Contínua.



«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply