#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » Um brinde à incompetência

(Foto: Renato Pizzutto)
Olá, leitores do Portal da Rede Contínua! Neste ano de 2015, eu completo 40 anos de idade, e comecei a acompanhar o futebol há muito tempo, mais precisamente em junho de 1982, com a fantástica Seleção Brasileira comandada por mestre Telê Santana, na Copa do Mundo da Espanha. Esse time deixou triste lembrança ao futebol brasileiro, em termos de resultados, mas gravou nas retinas, e principalmente no coração de todo torcedor brasileiro apaixonado por futebol, o que vem a ser um futebol bem jogado.
E por que falo de Telê Santana? Ora, foi ele o treinador mais vitorioso, e competente, da história do São Paulo Futebol Clube. Ganhou todos os campeonatos que podemos imaginar. Do Paulista ao Mundial de Clubes, do Brasileirão à Libertadores, passando pela extinta Supercopa dos campeões da Libertadores (que depois passou a se chamar Copa CONMENBOL, e posteriormente Copa Sul-Americana). Essa competição aliás, foi vencida pelo auxiliar de Telê no São Paulo, Muricy Ramalho, foi campeão em 1994, comandando o "Expressinho", um time de jovens atletas que eram reservas, ou nem tinham atuado pelo time de cima.
Tempos em que a competência era uma característica marcante. Tempos em que o São Futebol Clube era referência dentro do futebol brasileiro, sul-americano e mundial. Hoje em dia, isso não acontece mais.  Assim como em 1987, quando o mesmo São Paulo, comandado por Carlos Miguel Aidar, sim, ele mesmo, o mesmo presidente de hoje, foi eliminado na fase de grupos da Libertadores, sendo batido por Colo-Colo e Cobreloa do Chile, e também pelo Guarani, vice-campeão brasileiro. O mesmo pode acontecer logo mais à noite.
E mais uma vez o mandatário maior do Morumbi é Carlos Miguel Aidar. Que já assumiu o São Paulo, em maio do ano passado, fazendo de suas lambanças. Quem não se lembra da polêmica contratação de Alan Kardec, que defendia o Palmeiras?  E com ele a de Wesley, que também atuava pelo Verdão?  Depois, veio a colocação que ele arrumou para sua própria namorada, dentro do clube, tendo que demitir a moça posteriormente porque a imprensa repercutiu o fato à exaustão.  Seria um modelo moderno de gestão? (IRONIA)
Agora, a questão está centralizada na demora para se definir o treinador para o restante da temporada. Hoje à noite, o São Paulo enfrentará o Corinthians, que tem um dos principais elencos do futebol brasileiro e conta com um técnico experiente no seu banco de reservas. E o São Paulo não vence o Corinthians desde 2012, quando enfrentou uma equipe mista do Timão, que estava de malas prontas para disputar o Mundial do Japão, na última rodada do campeonato nacional daquele ano. A estatística também mostra que o São Paulo não vence o Corinthians em jogos eliminatórios desde o Paulistão do ano 2000. Pouco tempo não? Só 15 anos de jejum. (IRONIA 2)

E a torcida são-paulina tem de conviver com declarações alienadas, sobre uma superioridade, e soberania, que o São Paulo só possui na cabeça de seu presidente. No último final de semana, mais uma lambança de Aidar: ele disse que comeria peixe no domingo, mas depois da derrota contra o Santos, em que o time do São Paulo foi apático em campo, mais parece que o espinho do peixe ficou entalado nas amídalas do presidente são-paulino. E este que vos escreve pergunta:  Onde está a soberania de um time que não define a contratação de treinador? De um time que não vence clássicos?  De uma equipe que treme sempre quando enfrenta o Corinthians? Brindemos, pois, a incompetência são-paulina, na temporada 2015.
Por Ivan Marconato

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply