#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » Gol... do mosquito

(Foto: Alan Morici / FramePhoto)
Primeiro foi o Corinthians, com o atacante Paolo Guerrero. O centroavante corinthiano, boliviano de nascimento sentiu na pele, o que é viver numa cidade, cujo poder público está andando para a população. Aliás, eu não me conformo como existem casos de dengue, criadouros de mosquitos e água limpa e parada numa cidade gigantesca como São Paulo. É muita incompetência governamental.

Se não bastasse Guerrero, agora o mosquito mudou o foco. Resolveu distribuir suas picadas em outros locais, não somente na capital do estado. O zagueiro Werley do Santos, ficou de fora das finais do Campeonato Paulista contra o Palmeiras por conta da doença. 

E eles não foram os únicos a sentirem a picada, além da febre altíssima, dores na região dos olhos e outros sintomas de mal estar no corpo, bem parecidos com uma forte gripe.  A dengue é algo sério, e se não tratada pode levar a pessoa a morte, pois causa a diminuição de plaquetas sanguíneas, atingindo o sistema imunológico. E no mundo do futebol, mais casos da doença atingiram os jogadores de futebol. São os casos do goleiro reserva Aranha, do Palmeiras, e do atacante do Santos, Léo Cittadini, que também contraíram a doença. Somente na capital paulista, foram 5 mortes por Dengue em 2015. No estado, já aconteceram 169 óbitos.

E para aumentar a artilharia do mosquito, agora a baixa atingiu o elenco do São Paulo Futebol Clube. O meia Michel Bastos, um dos destaques do time do Morumbi na temporada, também foi contaminado. Bastos desfalcará o São Paulo hoje à noite, no jogo diante do Cruzeiro, na primeira partida válida pelas oitavas de final da Taça Libertadores. Realmente, o mosquito da dengue, é um dos principais artilheiros do futebol brasileiro em 2015.

Ivan Marconato é repórter e escreve todos às quartas-feiras para o portal da Rede Contínua.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply