#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » Quem venceu: Tite ou a Seleção Brasileira?

A seleção brasileira de futebol vem vivendo nas últimas semanas uma lua de mel com o torcedor que há muito tempo não acontecia. A diferença de hoje para um mês atrás não está apenas no fato de não precisarmos mais descrever se a seleção brasileira de futebol que estamos falando é a masculina ou a feminina, vai mais além. Se as meninas já voltaram ao ostracismo para a grande mídia, os meninos estão de ouro e com o prestígio cada vez maior.
Na final olímpica, depois dos 7 x 1, foi a primeira vez que o país parou novamente para acreditar nas alegrias que a amarelinha poderia nos dar, e depois de 120 minutos o grito de revanche contra os alemães saiu da garganta. Ainda restava dizer que aquela não era a seleção principal, mas alguns poucos dias depois não restou mais nada. Com a convocação de jogadores do ouro para as Eliminatórias, a seleção foi para Quito enfrentar o Equador.
Altitude, um tabu equatoriano de 33 anos sem perder para o Brasil jogando em casa e desde 2009 sem perder para ninguém como mandante. Nada disso resistiu a estréia de Tite no comando da seleção brasileira. O treinador que há alguns anos já era pedido no comando dos canarinhos, repetiu em Quito o mesmo esquema usado em suas passagens vitoriosas no Corinthians, o 4-1-4-1, em um primeiro tempo inteligentemente poupado para que na segunda etapa a resistência física prevalecesse. Gabriel Jesus saiu do jogo como o grande nome, após sofrer um pênalti e marcar dois gols, ele vai se fixando como o camisa nove ideal ao momento e tem seu inicio de carreira comparado a Ronaldo Nazário. A goleada por 3 x 0 escancarou as portas do otimismo para que a confiança de um pentacampeão do mundo voltasse a exalar em todos os brasileiros.
Era o que Tite precisava para comandar o time com maestria diante da Colômbia, essa quem diria a mais nova rival da nossa seleção. A vitória veio após jogadas construídas com a participação de todo o time. Neymar passou a ser mais um em nosso selecionado, com a mesma participação do aniversariante Miranda, muito melhor na seleção que em seu clube. Marquinhos, que marcou um gol contra, dificilmente dará espaço a volta de Thiago Silva a titularidade da equipe se continuar a atuar assim.
Ainda contra a Colômbia Daniel Alves e Marcelo completaram 10 anos de seleção brasileira, sendo os donos das laterais, principalmente quando atacam, já que na consistência defensiva precisam de um grande apoio dos meias Casemiro e Paulinho. O volante do Real Madrid se encaixou como poucos no esquema de Tite e não deve mais sair, enquanto Paulinho, convocado mais pela confiança do técnico do que pelo momento atuando no futebol chinês, já está suspenso para a próxima partida contra a Bolívia e deve ser substituído por Willian Aarão ou Giuliano, este último que também já entrou em campo na chamada "nova seleção brasileira". Ainda nas substituições possíveis, Phelipe Coutinho entrou muito bem no lugar de Willian em ambas as partidas e cria uma dúvida ao "merecimento" que o treinador sempre impõe as suas escalações, já Renato Augusto vem se mostrando um polivalente desde as Olimpíadas e não deve mais perder seu lugar no elenco.
Os jornais de todo o país noticiam a vice-lideranca do Brasil nas Eliminatórias, mas principalmente em São Paulo, a imprensa conta a vitória de Tite nas manchetes principais. O nome do treinador tem alcançado constantemente os pontos mais altos do noticiário, acima da própria identidade da seleção brasileira, provavelmente pelo sucesso que vem tendo um pedido atendido pelos mesmos há anos e pela carência de uma afinidade com um treinador do selecionado canarinho após o sem escrúpulos Dunga, o teimoso Felipao e o arrogante Mano Menezes. Esta geração há poucos meses era definida como perdida, mas estão sendo reiventadas as suas definições, dizendo se que apenas faltava um treinador que a organizasse. Ainda é cedo para qualquer extremo, mas sempre será o tempo certo para afirmar que somos o país com o DNA do futebol e somos desejosos de que para o bem de nosso futebol essa união entre treinador e seleção continue prosperando e tudo fique em 2018 russo apenas para os adversários.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply