#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » » Canetadas: 300, a Ascensão do Império!

Há muito tempo não se via o Brasil goleando um adversário de menor expressão e as manchetes não sendo a fragilidade do adversário. A simpatia, empatia, carisma, competência e a leveza de Tite ajudam a explicar a diferença de modos e humores entre o antigo regime e o momento moderno, mas não desconhecido para o torcedor Corinthiano, que conhece muito bem o bote dos espartanos, aquela pressão no início de todo jogo e que resultou em Neymar afobando Raldes, que deu no gol do craque, depois de passe de retorno de Gabriel Jesus, aos 10 minutos. Eram 10.
Em um belo lance armado por Giuliano com Daniel Alves, e bem finalizado por P .Coutinho veio o segundo aos 25. Lado direito tão forte quanto o esquerdo, que marcou o terceiro, com Filipe Luís, aos 38. em bela enfiada de novo de Neymar. Tão bonita e precisa quanto a que o camisa 10 deu para Gabriel Jesus fazer o dele, o quarto, no final da ótima primeira etapa. Suspenso contra a Venezuela, e limpo para enfrentar a Argentina Neymar conseguiu o cartão amarelo provocando como de hábito, e apanhando como de estimação. O Brasil que foi bem também pela seriedade, explícita na declaração de Tite pós jogo onde narrava o esforço por evitar que o goleiro boliviano saisse jogando com o pé direito, explicado por Adenor como o mais usado, mesmo após os quatro a zero. Nas alterações Neymar saiu sangrando depois de apanhar mais uma vez. Willian entrou pela direita, e P. Coutinho foi para a esquerda, na de Neymar; Firmino assumiu o comando de ataque no lugar de Gabriel Jesus. Aos 29, o gol foi com ares de Liverpool. Firmino de cabeça, no escanteio de Coutinho. A zaga boliviana deu o mole usual. E Tite então ousou um pouco mais, com Lucas Lima no lugar de Giuliano. Neymar marcou o seu gol 300 na carreira com a amarelinha, e confirmou o que os jornais espanhóis retratavam, de que o Brasil voltou a jogar como antes, sendo o império reerguido após alguns anos. Ainda ouve tempo de ouvir o carinho do torcedor, que desde a família Scolari e pós um penta campeonato mundial, não cantava o nome de um técnico da seleção brasileira, e para quem confessa não dormir após os jogos, a energia de Natal antecipou a chegada das festas de dezembro.

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 5 X 0 BOLÍVIA

Local: Arena das Dunas, em Natal (RN)

Data: 6 de outubro de 2016 (Quinta-feira)

Horário: 21h45(de Brasília)

Árbitro: Wilson Lamouroux (Colômbia)

Assistentes: Alexander Guzman (Colômbia) e Eduardo Díaz (Colômbia)

Cartões amarelos: Neymar (BRA); Melean, Azogue (BOL)

Gols:

BRASIL: Neymar, aos 10 minutos do 1º Tempo, Philippe Coutinho, aos 25 minutos do 1º Tempo, Filipe Luís, aos 38 minutos do 1º Tempo, Gabriel Jesus, aos 43 minutos do 1º Tempo, e Firmino, aos 29 minutos do 2º Tempo

BRASIL: Alisson; Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Fernandinho, Giuliano (Lucas Lima), Renato Augusto, Philippe Coutinho e Neymar (Willian); Gabriel Jesus (Firmino)

Técnico: Tite

BOLÍVIA: Lampe; Rodriguez, Ronald Raldes, Edward Zenteno e Marvin Bejarano; Melean, Azogue, Jhasmani Campos (Vaca) e Arce (Ramallo); Yasmani Duck (Pablo Escobar) e Marcelo Moreno

Técnico: Ángel Guillermo Hoyos

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply