#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » GRANEL: 23) Fluminense 1917-1919

Com a saída de nove jogadores do time campeão de 1911 e que originou a fundação da seção de esportes terrestres do Clube de Regatas Flamengo, o Fluminense perdeu a hegemonia do futebol carioca. Foi 4º colocados em 1912 (campeão Paysandu) e em 1913 (campeão América), 3º colocados em 1914 (campeão Flamengo), 2º em 1915 (campeão Flamengo ) e 3º em 1916 (campeão América). Foi em 1917 que começaram a surgir os primeiros comentários sobre clubes oferecerem aos jogadores respeitáveis quantias em dinheiro, o que chamamos hoje em dia de bicho. A LMSA foi substituída, de comum acordo entre os clubes, pela Liga Metropolitana de Desportos Terrestres (LMDT) que já começava a exigir uma série de providências aos clubes participantes, para inscreverem seus jogadores. Segundo levantamentos feitos em jornais da época, as exigências eram os de ser amador, ser sócio do clube proponente, residir na região de jurisdição da Liga, exercer profissão honesta, estar em pleno gozo de seus direitos civis e políticos, saber ler e escrever, ter moralidade comprovada.
Apesar da popularidade que ganhara, o futebol ainda era caracterizado por seu caráter elitista. Nesta época o Brasil através de seu Presidente Venceslau Brás, declarava guerra ao império germânico; era gravado no país o primeiro samba “Pelo Telefone”, de Donga e a imprensa esportiva se tornava uma realidade. As confusões dentro de campo viravam rotina e despertavam apenas, críticas dos derrotados. Em 15 de agosto, no campo de General Severiano, a arbitragem confusa de Fausto Torrentes, provocou protestos do Botafogo. O time alvinegro empatava com o Fluminense em 2 x 2 quando os atacantes tricolores Celso e Couto empurraram o goleiro botafoguense com bola e tudo para dentro do gol. O juiz anulou o lance mas, dois minutos depois, atendendo à solicitação do capitão do Flu Chico Netto, decidiu validá-lo, em decisão inédita. Os botafoguenses, indignados, simplesmente pararam em campo e Celso, andando, marcou o quarto gol tricolor que definiria a partida em 4 x 2.
Os Jogos no primeiro turno foram: Fluminense 2 x 0 Flamengo
Local: Laranjeiras
Data: 27/05/1917
Juiz: Flávio Ramos
Gols do Flu: Couto e Moraes (1 cada)
Fluminense 2 x 1 Bangu
Local: Rua Ferrer, em Bangu
Data: 10/06/1917
Juiz: Antônio de Almeida
Gols do Flu: Couto (2)
Fluminense 4 x 1 São Cristóvão
Local: Laranjeiras
Data: 01/07/1917
Juiz: Gomes de Paiva
Gols do Flu: Couto (2), Chico Netto (2, ambos de pênalti)
Fluminense 4 x 2 Carioca
Local: Rua Dona Castorina
Data: 08/07/1917
Juiz: Gomes de Paiva
Gols do Flu: Zezé, Couto, Oswaldo e Moraes (1 cada)
Fluminense 3 x 1 América
Local: Campos Sales
Data: 14/07/1917
Juiz: Blackney
Gols do Flu: Chico Netto (pênalti), Couto e Celso (1 cada)
Fluminense 4 x 2 Botafogo
Local: General Severiano
Data: 15/08/1917
Juiz: Fausto Torrentes
Gols do Flu: Couto e Celso (2 cada)
Fluminense 4 x 0 Vila Isabel
Local: Laranjeiras
Data: 26/08/1917
Juiz: Silvio Fortes
Gols do Flu: Moraes (2), Chico Netto (pênalti) e Bernardez (1)
Fluminense 0 x 0 Mangueira
Local: Rua Paysandu
Data: 02/09/1917
Juiz: Blackney
No segundo turno:
Fluminense 1 x 0 América
Local: Laranjeiras
Data: 09/09/1917
Juiz: Blackney
Gols do Flu: Raul
Fluminense 3 x 1 América
Local: Campos Sales
Data: 14/07/1917
Juiz: Blackney
Gols do Flu: Chico Netto (pênalti), Couto e Celso (1 cada)
Fluminense 4 x 0 Mangueira
Local: Laranjeiras
Data: 16/09/1917
Juiz: Horácio Salema
Gols do Flu: Celso (3) e Fortes (1)
Fluminense 1 x 0 Carioca
Local: Laranjeiras
Data: 04/11/1917
Juiz: Paulo B. de Macedo
Gol do Flu: Couto
Fluminense 1 x 4 São Cristóvão
Local: Figueira de Melo
Data: 11/11/1917
Juiz: J. Pinkusz
Gol do Flu: Zezé de pênalti
Fluminense 1 x 2 Botafogo
Local: Laranjeiras
Data: 18/11/1917
Juiz: Paulo Canongia
Gol do Flu: Couto
Fluminense 4 x 1 Vila Isabel
Local: Campo do Jardim Zoológico
Data: 25/11/1917
Juiz: Antônio Miranda
Gols do Flu: Welfare (2), Mano e Bernardez (1 cada)
Fluminense 11 x 1 Bangu
Local: Laranjeiras
Data: 09/12/1917
Juiz: Gamaliel Bonorino
Gols do Flu: Welfare (6, sendo 1 de pênalti), Zezé (3), Chico Netto (1) e Fortes (pênalti)
Fluminense 2 x 2 Flamengo
Local: Rua Paysandu
Data: 23/12/1917
Juiz: José Pinkusz
Gols do Flu: Zezé (pênalti) e Machado
Fluminense 7 x 2 Andaraí
Local: Rua Prefeito Serzedelo, no Andaraí
Data: 30/12/1917
Juiz: Virgílio Fedrighi
Gols do Flu: Welfare (3), Zezé (2), Machado e Oswaldo (1 cada)
O grande nome Welfare começava a surgir com 11 gols em apenas cinco jogos. O time campeão de 1917 tinha a base composta por: Marcos Carneiro – Vidal – Chico Netto – Laís – Oswaldo e Fortes; Celso – Zezé – Welfare – Machado e Moraes.
Clubes participantes: dez
Campanha: 18 jogos, 14 vitórias, 2 derrotas, 2 empates, 58 gols a favor, 21 contra com saldo positivo de 37 gols
Artilheiro do Campeonato: Luiz Menezes com 21 gols (Botafogo)
Artilheiro do Fluminense: Couto ( José Couto da Silva ) com 12 gols
Técnico: J. A. Quincey Taylor
Presidente do Fluminense: Arnaldo Guinle
A LMDT também foi a organizadora do campeonato de 1918. Na época, houve um grande surto de gripe espanhola que chegou ao Rio de Janeiro, via portuária, tendo se disseminado na cidade, principalmente nos meses de outubro, novembro e dezembro. A Liga ainda tentando bloquear a evolução do futebol para o profissionalismo, colocou em vigor mais uma nova exigência aos clubes. Todo jogador ( atleta ) que mudasse de equipe, deveria aguardar 30 dias para poder ganhar condição de jogo em outro clube. O público cada vez mais apoiava o esporte, tanto que os jornais da época noticiaram em manchete – “uma multidão incalculável jamais vista em qualquer lugar” – era a sétima rodada do primeiro turno, e a partida Fluminense e Flamengo, na Rua Paysandu. O Flu venceu o jogo por 3 x 0 e prosseguiu vencendo seus adversários, rumo ao bicampeonato estadual. O Flu, em relação ao time de 1917, modificou toda sua ala esquerda. Machado passou para a ponta e em seu lugar entrou Archibald French, ex centro-avante do Bangu, recém ingresso no tricolor. Em todo o certame nossa equipe perdeu 2 jogos. Contra o Vila Isabel, no campo do Jardim Zoológico ( lugar propício para a grande zebra ), por 1 x 0, tento marcado por Chico Netto contra e, para o Carioca, por desistência. O WO citado acima, foi motivado pela epidemia de gripe já mencionada. O tricolor suspendeu todos os treinamentos, pois quase todos os jogadores tinham adquirido o vírus. Archibald French, meia-esquerda inglês, infelizmente não resistiu a virose e veio a falecer. Como o Fluminense já tinha conquistado o título por antecipação, deixou de disputar a partida contra o Carioca e a Liga acertadamente aplicou o WO. Outros fatos ainda foram marcantes na época. O assassinato do jogador do América, João Evangelista Belfort Duarte, no dia 27 de novembro de 1918 e que, posteriormente, foi homenagedo pelo Conselho Nacional de Desportos que instituiu um prêmio com seu nome, aos atletas que encerravam a carreira sem expulsões de campo e o uso pelos juizes ( árbitros ) do Rio, do uniforme com calção, meias, chuteiras e paletó preto, antes usavam terno, gravata e chapéu.
Primeiro Turno
Fluminense 4 x 3 Andaraí
Local: Rua Prefeito Serzedelo, Andarái
Data: 14/04/1918
Juiz: A. Almeida
Gols do Flu: Machado (2), Zezé e Welfare ( 1 cada )
Fluminense 9 x 3 Bangu
Local: Rua Ferrer, Bangu
Data: 21/04/1918
Juiz: Virgílio Fedrighi
Gols do Flu: Zezé ( 4, sendo um de pênalti ), Welfare (3), Celso e Mano ( 1 cada )
Fluminense 2 x 0 Mangueira
Local: Laranjeiras
Data: 03/05/1918
Juiz: Álvaro Galvão Bueno
Gols do Flu: Zezé (2)
Fluminense 3 x 2 São Cristóvão
Local: Rua Figueira de Melo, São Cristóvão
Data: 15/05/1918
Juiz: Edvard Vieira
Gols do Flu: Machado, Welfare e Zezé ( 1 cada )
Fluminense 2 x 0 América
Local: Laranjeiras
Data: 19/05/1918
Juiz: Frederico Ávilla Mello
Gols do Flu: Machado (2)
Fluminense 6 x 1 Vila Isabel
Local: Laranjeiras
Data: 26/05/1918
Juiz: Plinio de Castro
Gols do Flu: Zezé (5) e Mano (1)
Fluminense 3 x 0 Flamengo
Local: Rua Paysandu
Data: 23/06/1918
Juiz: Altamiro Mourão dos Santos
Gols do Flu: Pennaforte (contra), French e Welfare ( 1 cada )
Fluminense 6 x 0 Carioca
Local: Rua Dona Castorina
Data: 30/06/1918
Juiz: Gastão de Azevedo
Gols do Flu: Welfare e French ( 2 cada ), Zezé e Machado ( 1 cada )
Fluminense 0 x 0 Botafogo
Local: General Severiano
Data: 14/07/1918
Juiz: Altamiro Mourão dos Santos
Segundo Turno
Fluminense 4 x 2 Bangu
Local: General Severiano
Data: 21/07/1918
Juiz: R. L. Todd
Gols do Flu: Welfare (3) e French (1)
Fluminense 1 x 0 Andaraí
Local: Rua Paysandu
Data: 28/07/1918
Juiz: Ferreira Vianna Netto
Gol do Flu: Welfare
Fluminense 0 x 1 Vila Isabel
Local: Campo do Jardim Zoológico
Data: 15/08/1918
Juiz: Antonio de Moura e Silva
Fluminense 4 x 0 América
Local: Campos Sales
Data: 15/09/1918
Juiz: R. L. Todd
Gols do Flu: Zezé e Machado (2 cada)
Fluminense 2 x 2 São Cristóvão
Local: Rua Paysandu
Data: 20/09/1918
Juiz: Ferreira Vianna Netto
Gols do Flu: Welfare e Mano
Fluminense 2 x 1 Botafogo
Local: General Severiano
Data: 29/09/1918
Juiz: Antônio de Almeida
Gols do Flu: Machado e Welfare
Fluminense 2 x 2 Flamengo
Local: General Severiano
Data: 06/10/1918
Juiz: Romeu D’Ambrózio
Gols do Flu: Zezé e Welfare
Fluminense 2 x 0 Mangueira
Local: Rua Paysandu
Data: 08/12/1918
Juiz: R. L. Todd
Gols do Flu: Welfare e Machado
Fluminense x Carioca
Local: Rua Paysandu
Data: 22/12/1918
O Fluminense perdeu por WO
O time campeão de 1918 tinha a base composta por: Marcos Carneiro – Vidal – Chico Netto – Laís – Oswaldo e Fortes; Celso – Zezé – Welfare – Machado e Moraes
Clubes participantes: 10 (dez)
Campanha: 18 jogos, 13 vitórias, 2 derrotas, 3 empates, 52 gols a favor, 17 contra com saldo positivo de 35 gols
Artilheiro do Campeonato: Luiz Menezes com 21 gols (Botafogo)
Artilheiro do Fluminense: Zezé (José Carlos Guimarães) com 17 gols
Técnico: J. A. Quincey Taylor
Presidente do Fluminense: Arnaldo Guinle
O campeonato de 1919, do tri Campeonato do Fluminense, foi novamente organizado pela Liga Metropolitana de Desportos Terrestres. Em 1919, o Fluminense Football Club despontou com o mais famoso conjunto de amadores da história do futebol carioca. A equipe sofreu apenas uma derrota durante todo o certame. Na Rua Figueira de Melo, perdemos por 2 x 0 para o São Cristóvão, resultado surpreendente, mas que não chegou a ofuscar o brilho das 17 vitórias obtidas no campeonato. O encontro decisivo, não só do campeonato de 1919, mas como também do tricampeonato carioca, foi realizado no dia 21 de dezembro, na Rua das Laranjeiras, contra o Flamengo. Já às 15:00 h, as dependências do estádio – o primeiro do Brasil – encontravam-se completamente tomadas pelo público, com assistência igual a que ocorreu na decisão do Campeonato Sul-Americano de Futebol, entre Brasil e Uruguai ( vencido na segunda prorrogação pelo Brasil por 1 x 0, no dia 29 de maio ), tendo a polícia, por esse motivo, mandado fechar os portões pois a lotação máxima era de 18.000 pessoas. Aproximadamente 5 mil pessoas não conseguiram comprar ingressos para o grande confronto, mas permaneciam firmes, nas ruas próximas, aguardando o resultado do jogo. O Fluminense vinha com 2 pontos de vantagem sobre o Flamengo e, se vencesse, tornaria-se tricampeão, pois só teria que disputar mais um jogo contra o América. Às 15:30 h, quando ainda jogavam os quadros secundários, chegou ao estádio, acompanhado do Ministro da Marinha, o Dr. Epitácio Pessoa, Presidente do Brasil e sua senhora. A partida foi suspensa por 5 minutos, os jogadores formaram diante da tribuna de honra do estádio e a banda do Batalhão Naval executou o Hino Nacional. Terminada a partida preliminar, com a vitória do tricolor por 3 x 1, entraram em campo os 2 times principais, extremamente ovacionados. O Flu jogou desfalcado de seu capitão e zagueiro esquerdo Chico Netto, que não entrou em campo, mas figura na foto clássica da equipe. Otelo Rossi, que já havia atuado em 3 partidas do turno final, foi um digno substituto de Chico. Dos 19 cronistas esportivos entrevistados na véspera, 15 falavam na supremacia tricolor. Após saudarem o Chefe de Estado, o jogo começou às 16:00 h com lances empolgantes. O Flamengo sentindo a grande superioridade do esquadrão tricolor, suportava grande pressão e defendia-se desesperadamente. Um gol de Zezé, atacante tricolor, quando a partida ainda estava 0 x 0, foi anulado pois encontrava-se em impedimento, e logo em seguida o juiz Eduardo Magalhães marcou um pênalti contra o Flu. Japonês bateu e Marcos defendeu mas a bola voltou a Japonês, que desferiu nova bomba; Marcos tornou a defender e soltou a bola, tendo Sidney aproveitado para emendar mas o extraordinário arqueiro, o maior do Brasil em sua época, praticou nova defesa. A bola escapou-lhe das mãos e Junqueira arrematou. Aconteceu o imprevisto: a quarta defesa consecutiva de Marcos foi recebida com grande silêncio no estádio. Repentinamente o público se pôs de pé e ovacionou delirantemente o fenomenal Marcos Carneiro de Mendonça. Quatro minutos depois, Machado em chute de longa distância abria o placar para o Flu. A torcida tricolor foi ao delírio. Ainda nesse jogo em que venceu o Flu por 4 x 0, e passou a ter direito a posse definitiva da disputada Taça Colombo, César Bachi de Araújo, jovem tenente do exército, maior revelação do campeonato, fez um gol memorável, depois de driblar 4 defensores rubro-negros. Um tento sensacional e que ficou gravado na história do 1º Tricampeonato Carioca. Este jogo entrou para a história como o Fla x Flu dos tiros de canhão. Ao dar por encerrada a partida, uma banda de clarins saudou a vitória. E no alto do morro Mundo Novo, uma salva de 21 tiros de canhão anunciou à cidade, a conquista do tricampeonato. Os jogadores nos braços de sócios e da torcida tricolor, carregados em triunfo, envergando nossa bandeira, com a banda do Batalhão Naval, fizeram uma volta completa no campo, aclamando os vencedores. O Presidente da República, ofereceu aos campeões de 1919, 11 medalhas de ouro. Com a conquista do tricampeonato, Oswaldo Gomes tornou-se o campeão dos campeões de futebol do Fluminense, não só como símbolo e exemplo de disciplina e dedicação ao clube, como também pelos campeonatos em que seu nome figura entre os vencedores (1906, 1908, 1911, 1917, 1918 e 1919). Ele que participou de todos os jogos oficiais realizados no triênio. Segundo Mário Filho, o time do Fluminense qualquer tricolor tinha a obrigação de recitar “como um soneto de Olavo Bilac” – Marcos, Vidal, Chico Netto, Laís, Oswaldo, Fortes, Mano, Zezé, Welfare, Machado e Bachi.
Os Jogos no primeiro turno:
Fluminense 4 x 0 Carioca
Local: Rua Dona Castorina
Data: 08/06/1919
Juiz: Gastão de Azevedo
Gols do Flu: Welfare, Bachi, Machado (1 cada) e Zezé (de pênalti)
Fluminense 8 x 0 Mangueira
Local: Rua Prefeito Serzedelo, Andaraí
Data: 22/06/1919
Juiz: Plínio Ribeiro de Castro
Gols do Flu: Welfare (4), Machado, Oliveira, Oswaldo e Bachi (1 cada)
Fluminense 4 x 1 Vila Isabel
Local: Laranjeiras
Data: 13/07/1919
Juiz: Gastão de Azevedo
Gols do Flu: Welfare (3) e Machado
Fluminense 2 x 1 Botafogo
Local:Laranjeiras
Data: 20/07/1919
Juiz: Ferreira Vianna Netto
Gols do Flu: Zezé e Welfare (1 cada)
Fluminense 0 x 2 São Cristóvão
Local: Rua Figueira de Melo
Data: 27/07/1919
Juiz: Ary Franco
Fluminense 4 x 0 Bangu
Local: Laranjeiras
Data: 17/08/1919
Juiz: Gastão de Azevedo
Gols do Flu: Machado (2), Zezé e Welfare (1 cada)
Fluminense 3 x 1 Flamengo
Local: Rua Paysandu
Data:24/08/1919
Juiz: Carlos Martins da Rocha
Gols do Flu: Machado (2) e Zezé (1)
Fluminense 6 x 0 Andaraí
Local: Rua Prefeito Serzedelo, no Andaraí
Data: 31/08/1919
Juiz: Ary Franco
Gols do Flu: Welfare (3), Zezé, Bachi e Machado (1 cada)
Fluminense 3 x 2 América
Local: Campos Sales
Data: 07/09/1919
Juiz: Plínio de Castro
Gols do Flu: Zezé (3)
Segundo Turno
Fluminense 5 x 1 Carioca
Local:Laranjeiras
Data: 05/10/1919
Juiz: Ary Franco
Gols do Flu: Machado e Welfare (2 cada) e Vidal (contra)
Fluminense 3 x 1 Mangueira
Local: Laranjeiras
Data: 26/10/1919
Juiz: Gastão de Azevedo
Gols do Flu: Welfare, Oswaldo e Mano (1 cada)
Fluminense 3 x 2 Bangu
Local: Rua Ferrer, em Bangu
Data: 09/11/1919
Juiz: Eduardo Gibson
Gols do Flu: Machado (2) e Zezé
Fluminense 2 x 1 Vila Isabel
Local: Campo do Jardim Zoológico
Data: 16/11/1919
Juiz: Ary Franco
Gols do Flu: Zezé (2)
Fluminense 5 x 2 Botafogo
Local: General Severiano
Data: 23/11/1919
Juiz: Gabriel de Carvalho
Gols do Flu: Zezé e Machado (2 cada), Welfare (1)
Fluminense 4 x 3 São Cristóvão
Local: Laranjeiras
Data: 30/11/1919
Juiz: Ary Franco
Gols do Flu: Zezé (2), Welfare e Machado ( 1 cada )
Fluminense 4 x 2 Andaraí
Local: Laranjeiras
Data: 14/12/1919
Juiz: Eduardo Gibson
Gols do Flu: Welfare (2), Zezé e Macahdo (1 cada)
Fluminense 4 x 0 Flamengo
Local: Laranjeiras
Data: 21/12/1919
Juiz: Eduardo Magalhães
Gols do Flu: Machado (2), Welfare e Bachi (1 cada)
Fluminense 4 x 1 América
Local: Laranjeiras
Data: 28/12/1919
Juiz: Álvaro Galvão Bueno
Gols do Flu: Machado, Mano, Welfare (1 cada) e Zezé (de pênalti)
O time campeão de 1919 tinha a  base: Marcos – Vidal – Chico Netto – Laís – Oswaldo – Fortes – Mano – Zezé – Welfare – Machado e Bachi
Clubes participantes: 10 (dez)
Campanha: 18 jogos, 17 vitórias, 1 derrota, 68 gols a favor, 20 contra com saldo positivo de 48 gols
Artilheiro do Campeonato: Braz de Oliveira com 24 gols ( São Cristóvão )
Artilheiro do Fluminense: Welfare ( 22 gols )
Técnico: Ramon Platero ( uruguaio )
Presidente do Fluminense: Arnaldo Guinle

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply