#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » » Canetadas: A Ponte Preta atuando as 11h é um caso de amor não correspondido

A Ponte Preta não tem sorte quando atua as 11h da manhã em domingos de futebol, o torcedor sabe antecipadamente que dificilmente estará sorrindo ao final de uma partida marcada no horário que enfrentou o Santos pela 34° rodada do BR16. São derrotas, empates e a última vitória anotada pela manhã exatamente contra o Santos no longínquo BR15. O Santos por sua vez buscou a virada contra a Ponte Preta, após estar atrás no placar e assumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro. Com gols de Copete e Ricardo Oliveira, o clube visitante venceu por 2 a 1 e deixou o Flamengo para trás na classificação. De quebra, diminuiu pressionou o líder Palmeiras, que ainda joga no complemento da 34ª rodada. A equipe treinada por Dorival Júnior foi aos 64 pontos, um a mais que o Flamengo e três a menos que o Palmeiras. Já a ponte ficou com 45, em décimo, agora mais distante das chances de G-6.
Um duelo de treinadores pode definir o resultado final da partida. A macaca sofreu nas mãos da covardia de Eduardo Batista, sem coragem para atacar e na busca de segurar o resultado no placar mínimo. No peixe o técnico Dorival Júnior tomou uma decisão ousada após o intervalo da partida em Campinas. Necessitando a vitória para seu time atingir os objetivos almejados no campeonato, o treinador tirou o zagueiro Noguera no intervalo, quando a Ponte vencia por 1 a 0, e deixou o Santos com apenas um defensor central de origem, David Braz. Mais solto, o time visitante cresceu em campo e alcançou o empate. Na sequência, o que se viu foi uma blitz santista atrás da virada, com sucesso.
Pela necessidade de vencer para garantir permanência no G-3 e de pressionar o Palmeiras em busca de uma improvável conquista do Brasileiro, o Santos tomou iniciativa contra a Ponte Preta, mas pouco fez com a bola. Além de Vitor Bueno, a equipe visitante foi pobre no ataque. Na defesa, por outro lado, as ausências de Luiz Felipe e Gustavo Henrique foram sentidas, especialmente pela insegurança de David Braz, que errou no pênalti que resultou no gol de Wlliam Pottker no primeiro tempo. A postura foi a mesma no segundo tempo, com o resultado inverso. Depois de insistir, Ricardo Oliveira se aproveitou de um rebote de Aranha para mandar paras redes. 
Após a rescisão do veterano atacante Roger, a Ponte Preta mostrou apatia no início da partida contra o Santos, se mantendo na retaguarda e indo pouco para o campo de ataque. No entanto, a equipe treinada por em um lançamento longo para Wendel nas costas de David Braz, a equipe de Campinas teve uma chance claríssima para abrir o placar. O zagueiro santista acabou derrubando o volante antes da finalização, e na cobrança de pênalti William Pottker colocou os mandantes na frente. Recuada, a equipe do interior pouco produziu na etapa complementar e cedeu à pressão adversária.

Ficha técnica
Ponte Preta 1 x 2 Santos
Data: 6/11/2016
Local: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Hora: 11h (de Brasília)
Gols: Willian Pottker, 21' do primeiro tempo (Ponte Preta), Ricardo Oliveira, 21' do segundo tempo (Santos)

Santos: Vanderlei, Victor Ferraz, David Braz, Noguera (Yuri) e Zeca; Renato, Thiago Maia e Jean Mota (Arthur); Victor Bueno (Léo Cittadini), Ricardo Oliveira e Copete. Técnico: Dorival Júnior.

Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Antônio Carlos, Douglas Grolli e Reinaldo; João Vítor (Abuda), Wendel (Thiago Galhardo), Maycon (Elton) e Rhayner; Willian Pottker e Clayson. Técnico: Eduardo Baptista.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply