#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » Máquina do Tempo: Majestoso completa 80 anos

São Paulo e Corinthians se enfrentam neste sábado no Morumbi, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro. Repleto de histórias, jogos decisivos, título e craques, o clássico paulista será disputado em momentos opacos para as equipes no campeonato, mas nem sempre foi assim. A equipe corintiana leva vantagem em números de vitórias sobre o time do Morumbi. O primeiro confronto ocorreu em março de 1936 e acabou vencido pelo Corinthians. O amistoso foi disputado pouco mais de três meses depois da fundação do São Paulo Futebol Clube. Na ocasião, Teleco marcou três vezes e deu a vitória por 3 a 1 ao clube alvivegro. O atacante corintiano é o maior artilheiro da história do clássico, com 24 gols marcados. Baltazar e Cláudio, do time corintiano tricampeão paulista entre 1951 e 1954, têm 17 gols cada. O primeiro são-paulino da lista é Serginho Chulapa, com 15 gols em 23 partidas. O centroavante é seguido por Teixeirinha, que balançou as redes do Corinthians em 12 oportunidades. Mais recentemente, o corintiano Elias se destacou ao marcar cinco gols em sete partidas disputadas entre 2009 e 2010. 
O lendário Leônidas da Silva estreou pelo São Paulo contra o Corinthians. Na ocasião, em maio de 1942, mais 70 mil pessoas foram ao Pacaembu assistir ao empate por 3 a 3. Ele foi contratado pelo São Paulo junto ao Flamengo, em 1942, na transação mais cara da história do futebol sul-americano até então, no valor de 200 contos de réis (em valores convertidos e corrigidos, aproximadamente 195 mil reais). Por causa de sua idade e tempo sem jogar, os rivais falavam que, na verdade, o Tricolor tinha comprado um bonde por 200 contos. Leônidas foi anunciado como contratado pelo São Paulo em 1 de abril de 1942. Dia da mentira. Claro que muita gente não acreditou, achando que o fato era brincadeira. Mas na realidade, poucos dias depois, 10 de abril, o craque foi recebido na Estação do Norte (Roosevelt), no Brás. A tão esperada estreia se deu em 24 de maio de 1942, em um empate em 3 x 3 contra o Corinthians, que resultou em recorde de público do estádio até hoje (70.281 pagantes). Leônidas não teria jogado tão bem - Em verdade até participou de jogadas de gols -, mas  a imprensa e os adversários zombaram do craque com uma piada de que o marcador do craque no jogo, Brandão, teria sido preso pela polícia por ter saído de campo com um diamante no bolso. Leônidas revelou posteriormente que, tão enervado que ficou, prometeu nunca mais jogar "mal" contra eles, e assim fez. Foram 10 vitórias contra cinco derrotas e 11 gols marcados em 19 jogos contra o Corinthians. O craque são-paulino fez 11 gols em 19 confrontos contra o rival do Parque São Jorge. Rogério Ceni e Tupãzinho não marcaram tantos gols, mas fizeram história neo confronto. O goleiro tricolor festejou seu centésimo gol na carreira diante do Corinthians, em março de 2011. Tupãzinho escreveu seu nome na história ao marcar o gol do título do Brasileiro de 1990.
A lista de grande personagens deste clássico tem outros jogadores decisivos em finais de campeonato. É o caso de Raí, que marcou três gols no Paulistão de 1991, fazendo o são-paulino explodir em alegria. Maurinho e Canhoteiro também marcaram em 1957), além de França, que fez dois em 1998. Juninho Paulista, por sua vez, balançou a rede três vezes na semifinal da Copa Conmebol, em 1994. Pelo lado corintiano, destacam-se Sócrates (dois gols nas decisões de 1983), Casagrande (dois gols na final de 1982) e Biro-Biro (com gol também em 1982). Marcelinho Cariocam o lendário Pé de anjo, decidiu duas semifinais em favor do Corinthians: no Brasileirão e no Paulistão de 1999. Em 1977, o atacante Geraldão fez cinco gols em cinco jogos contra o São Paulo. Mais recentemente, Edmundo e Liedson conseguiram marcar seus golzinhos em goleadas corintianas por 5 a 0, em 1996 e 2011. O goleiro Dida também tem um lugar nesse clássico: em 1999, ele defendeu dois pênaltis de Raí.
A maior série sem vencer o rival é do Corinthians: 13 partidas, entre junho de 2003 e julho de 2007 - foram oito triunfos e cinco empates. O maior jejum do São Paulo deu-se entre 1976 e 1979. No total, foram 12 jogos sem derrotar o rival alvinegro, com oito vitórias corintianas e quatro empates. O confronto entre São Paulo e Corinthians já decidiu 12 títulos ao longo dessa história de rivalidade, entre Brasileirão, Rio-SP, Recopa e Paulistão. A vantagem nese quesito é do Corinthians, com oito conquistas sobre o time do Morumbi: Campeonatos Paulista de 1938, 1982, 1983, 1997 e 2003, além do Brasileirão de 1990, do Rio-SP 2002 e da Recopa 2013. O São Paulo derrotou a equipe corintiana em quatro finais estaduais (1957, 1987, 1991 e 1998).

Ficha Técnica da Segunda Partida da Final do Campeonato Brasileiro em 16 de Dezembro de 1990.

São Paulo 0 – 1 Corinthians 
Morumbi, São Paulo

Gol: Tupãzinho, marcado aos 54' minutos de jogo
Público: 100.858
Árbitro: Edmundo Lima Filho

São Paulo: Zetti, Cafu, Antônio Carlos, Ivan e Leonardo; Flávio, Bernardo e Raí (Marcelo Conti); Mário Tilico (Zé Teodoro), Eliel e Elivélton. Técnico: Telê Santana.

Corinthians: Ronaldo, Giba, Marcelo Djian, Guinei e Jacenir; Márcio, Wilson Mano e Neto (Ezequiel); Fabinho, Tupãzinho e Mauro (Paulo Sérgio). Técnico: Nelsinho Baptista.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply