#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » Máquina do Tempo: O dia em que o Palmeiras foi campeão sobre a Chapecoense

Neste domingo o Palmeiras pode ser campeão brasileiro sobre a Chapecoense. Mas não será novidade. Esta crônica de 03 de setembro de 2013 em junção dos sites "Globo Esporte" e "Terra" nos contam melhor. Abre Aspas:

"Em campo, um time que passou 90 minutos tentando furar a retranca do adversário e saiu lamentando o empate sem gols. Este foi um Palmeiras amplamente superior à Chapecoense, com diversas chances criadas para marcar, mas que não foi eficiente nas finalizações. Quando acertou o alvo, parou no goleiro Rodolpho, autor de grandes defesas. Do outro lado, o rival saiu feliz da vida com o 0 a 0 no Pacaembu, resultado que sacramentou a sua ótima campanha na Série B do Brasileirão.
O Verdão fecha o primeiro turno na liderança, com 42 pontos, conquistando o simbólico título de campeão. Mas não com o melhor desempenho da história dos pontos corridos, que pertence ao Vitória (44 em 2012). Foi a terceira partida sem vitória do time paulista, que aos poucos consegue se recuperar do trauma causado pela derrota por 3 a 0 para o Atlético-PR, que decretou a eliminação na Copa do Brasil. A Chapecoense, com 40 pontos, segue firme na vice-liderança.
Os dois times voltam a campo no fim da semana. No sábado, o Verdão vai até Itumbiara para enfrentar o Atlético-GO, às 16h20m. Na sexta-feira, às 21h50m, a equipe catarinense recebe o Boa Esporte.
A pressão no Pacaembu começou antes de a bola rolar, quando Paulo Nobre e Valdivia foram hostilizados por uma das torcidas organizadas do Verdão. Para tentar retomar o caminho das vitórias, o criticado Gilson Kleina voltou a usar o esquema com dois meias. Sem o chileno, a aposta recaiu em Felipe Menezes, enquanto Ronny formou dupla de ataque com Kardec, já que Leandro estava suspenso.
Na Chapecoense, a estratégia era clara: valorizar a posse de bola ao máximo e jogar no erro do adversário. Para isso, defendia-se com até oito jogadores na sua intermediária. Ofensivamente, os visitantes só assustaram em chute de longe de Tiago Luis, bem defendido por Fernando Prass.
Mesmo sem seu principal articulador, o Verdão teve volume de jogo, criou chances e só não terminou a etapa inicial em vantagem por falha nas finalizações. Juninho, após passe de Mendieta, finalizou à direita da meta rival. Tiago Alves aproveitou bobeada da zaga adversária, ficou cara a cara com Rodolpho e bateu em cima do oponente, para desespero de Gilson Kleina.
No intervalo, Kleina foi obrigado a fazer uma substituição: com uma torção no tornozelo esquerdo, Ronny foi substituído por Vinícius, que voltava ao time após ficar um mês machucado. O Palmeiras manteve o domínio e quase abriu o placar em seu primeiro ataque, com Alan Kardec. A Chapecoense assustou em lance de bola parada, que terminou na perigosa cabeçada de Tiago Luis.
Com o passar do tempo, o Palmeiras caiu de rendimento. Suas peças ofensivas começaram a errar muitos passes e pararam de criar. Na tentativa de dar novo gás, Kleina mexeu novamente, com a entrada de Serginho na vaga de Felipe Menezes. Os visitantes ainda assustaram na bola parada, novamente, mas Prass brilhou e evitou gol de Caion aos 22. Em seguida, Wesley fez Rodolpho trabalhar, e o goleiro brilhou também em duas finalizações de Vinícius.
A partir dos 35, a Chapecoense abdicou do ataque de vez. O Palmeiras tentou de tudo. Jogou pelas pontas, arriscou de longe, cruzou bolas para a área. Rodolpho trabalhou novamente em chute de Luis Felipe, enquanto Rafael Lima evitou gol certo de Serginho. A torcida, que compareceu em pouco número (8.841 pagantes), sentiu o esforço da equipe e empurrou das arquibancadas. No último lance, André Luiz, de cabeça, ainda mandou na trave. Mas o tão sonhado gol não saiu.

FICHA TÉCNICA 
PALMEIRAS 0 X 0 CHAPECOENSE

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP) 
Data: 3 de setembro de 2013, terça-feira 
Horário: 21h50 (de Brasília) 
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (BA) 
Assistentes: Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO) e Luiz Claudio Regazone (RJ) 
Cartões amarelos: Alan Kardec (Palmeiras). Tiago Luis, Danilinho e Rafael Lima (Chapecoense)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Luis Felipe, Tiago Alves, André Luiz e Juninho; Márcio Araújo, Wesley, Felipe Menezes (Serginho) e Mendieta; Ronny (Vinícius) e Alan Kardec 
Técnico: Gilson Kleina

CHAPECOENSE: Rodolpho; Fabiano, André Paulino, Rafael Lima e Fabinho Gaúcho; Wanderson, Paulinho Dias, Diego Felipe e Danilinho (Athos); Tiago Luis (Caion) e Soares (Neném) 
Técnico: Gilmar Dal Pozzo".

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply