#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » Treinamento do São Paulo e coletiva de Hudson

Wellington Nem participou da atividade do São Paulo nesta manhã de Quarta-Feira, que teve golaços de Buffarini, por cobertura, e Gilberto. O elenco treinou finalizações e o resultado não foi bom. Os goleiros levaram a melhor e muitos chutes foram longe. Os times foram bastante alterados ao longo da atividade. Douglas, Lugano e Hudson foram usados no time mais próximo ao titular. Cueva não esteve em campo devido a indisposição gástrica.
O time reserva treinou sem a zaga: Renan, Bruno, Matheus Reis, Hudson, Jean Carlos, Daniel, Robson, Gilberto e Chavez. Assim, o objetivo dos titulares foi sair de marcação alta e fazer a transição em velocidade pelas pontas. Hudson, que poderia herdar a vaga de João Schmidt, fica no time reserva. Wellington pode voltar a ser titular no domingo. Denis, Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio Mena; Wellington, Thiago Mendes, Luiz Araújo e David Neres fizeram trabalho tático.
Ao final do treinamento desta Terça-Feira Hudson falou em coletiva de imprensa. Aqui os principais trechos.
Hudson diz se os atacantes estão sentindo mais pressão do que os zagueiros:
"A pressão é igual para todo. Por mais que atacantes não façam gols, a pressão por perder é igual para todos. Se o time perdeu, é porque a defesa deixou passar gols. Se não fez gol, porque o ataque falou. Então é ruim para todo mundo."
O elenco atual é inferior ao dos outros anos?
"Em relação a resultados, sim. Quando cheguei fomos vice-campeões brasileiros. semifinalista da Sul-Americana. Então está claro que cada um poderia dar um pouco mais"
Hudson responde por que o São Paulo mudou tanto da Libertadores para cá:
"Difícil falar, porque mudou, porque os resultados passaram a ser ruins. Time caiu de rendimento. Poderia dar um pouco mais. Alguns jogos faltou um pouco mais de sorte, principalmente que dominamos no Morumbi. Mas é tudo um todo"
Hudson falou da possibilidade de em 2017, Corinthians, Palmeiras e Santos estarem na Libertadores, menos o São Paulo:
"É uma situação que a gente não esperava nunca. Não queríamos estar passando. Mas vamos ter de concentrar nossas forças no Campeonato Paulista. Faz tempo que o São Paulo não ganha, então vai ter que ser a nossa Libertadores."
Hudson analisa a contratação do atacante Wellington Nem:
"Acho que é uma contratação do tamanho do São Paulo. Pelo que o São Paulo tem de almejar. Jogador bastante rodada, experiente. De excelente qualidade. Não precisa provar nada para ninguém. A gente aposta que ele vai se dá bem aqui"
O elenco é bom ou precisa de reformulação?
"Nosso elenco se superou no primeiro semestre. Aprendeu a jogar a Libertadores e jogou muito bem. Poderíamos ter ido além da semifinal, por mais qualidade que o Atlético Nacional tem. Perdemos dois jogadores importantes, que viviam grande fase (Kelvin e Ganso). E aí caímos, veio uma ressaca da Libertadores. Para mim é um grupo reduzido. Tem dificuldade na reposição. São Paulo, quando eu cheguei, tinha seis jogadores de Seleção. Hoje, só tem o Michel e ele nem está jogando mais. Tenho certeza de que estão olhando com carinho e voltaremos forte"
Hudson diz se acredita que pode sair em 2017?
"O meu desejo é ficar no São Paulo, servir o São Paulo. Sou muito feliz aqui. Estou adaptado. Só que a diretoria sabe o que é melhor para o clube. Eles sabem quem deve ficar, quem não deve. O Ricardo deve indicar jogador também. Ainda temos dois jogos, podem até decidir muita coisa para muito jogador ainda. Então temos de encarar da melhor forma possível."
Hudson analisa sua trajetória este ano e as mudanças previstas pela temporada ruim do time:
"Acho que é normal essas dúvidas, essas questões de mudanças. E tem de ter mudanças, sim. Está todo mundo de acordo que foi um ano em que ficamos devendo. Então claro que tem de ter mudança, chegar novos jogadores para acrescentar à equipe. Eu tive um crescimento grande no primeiro semestre. Tive as duas primeiras lesões da carreira. Uma lesão de tendão, difícil de acontecer. E mesmo depois de ter voltado, ainda senti dores mais de um mês. E estaria mentindo se eu disse que não sinto mais dor quando chuto de esquerda. Foi um ano que mais joguei. Ano de muita pressão para a gente. E você jogar pressionado, tem desgaste físico e emocional muito grande"
Hudson responde se as críticas a Denis e Ricardo Gomes são injustas, já que ele admitiu uma postura ruim do time:
"É um todo. Não adianta apontar o dedo para o Ricardo, para o Denis, e achar que são culpados. É um exagero enorme. Ninguém ganha sozinho. Não adianta o Ricardo Gomes treinar o time muito bem e no fim de semana ninguém jogar como ele pediu. O Denis quantas vezes não salvou a gente nos jogos? Quando a fase é ruim, e pra gente foi ruim o ano todo, perdurou, o erro toma proporção maior"
Hudson diz se concorda com Rodrigo Caio, que na semana passada falou em falta de comprometimento do time em alguns momentos:
"Comprometimento é uma palavra muito forte. Acho que em algumas partidas pode ter havido relaxamento de alguns atletas, sim. E a gente se cobra muito, porque em nenhum momento esse ano a gente teve folga para jogar relaxado em qualquer jogo. Acho que tinha de ter sido evitado, agora não tem mais campeonato para evitar qualquer coisa. Mas é algo que a gente se cobra, é uma falha nossa de jogadores. Não adianta apontar dedo para nenhum jogador, quando ganha são todos. E a gente sabe que nessa questão precisa melhorar muito"

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply