#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » Maquina do Tempo: O último título da Chapecoense

Se não vai no amor, vai na dor. Diferente das atuações brilhantes nas primeiras fases do Estadual e minimizando a alcunha de melhor time de Santa Catarina do momento, a Chapecoense faturou o título do Campeonato Catarinense, mesmo empatando com o Joinville neste domingo,em 1 a 1. Em partida realizada na Arena Condá, pelo jogo de volta da grande final do Estadual, o Alviverde, contou a vantagem conquistada após vencer o confronto de ida pela contagem mínima, buscou o resultado, contando com a força de sua torcida.
Apesar do fracasso, o JEC tem muitos motivos para se orgulhar. Após um primeiro turno muito problemático e ainda amargando o rebaixamento no Campeonato Brasileiro em 2015, a Lebre fez uma campanha impecável no returno e tem tudo para chegar forte na disputa da Série B e da Copa do Brasil. Sem condições para um bom desenrolar da partida, devido à forte chuva que insistia em cair na Arena Condá e às inúmeras poças no gramado, o jogo começou muito feio. As equipes mal conseguiam trocar passes, a bola não rolava direito e os atletas tinham que levantá-la para tentar acionar um companheiro. Este panorama aflorou os nervos dos finalistas, que abusaram nas dividias, e foi responsável por uma discussão entre Josimar e Naldo. Desta forma, aproveitando a confusão, o árbitro Sandro Meira Ricci interrompeu o confronto aos 18 minutos , esperando que o tempo colaborasse para a disputa da final. Os mandantes, como já tinham a vantagem, pediam para que a partida continuasse, ao contrário dos tricolores, que queriam melhores condições para tentarem reverter o resultado negativo do primeiro encontro.
Com o fim da chuva, após sete minutos de pausa, o juiz reiniciou o jogo, apesar de as condições continuaram complicadas. As poças começaram a diminuir, mas o duelo continuava tenso e pesado. No entanto, os mandantes conseguiram aproveitar um escanteio para abrir o placar com Diego Felipe, aos 41 minutos. O primeiro gol parece que abriu a disputa, os times começaram a criar muito mais e chegar com mais qualidade ao ataque, tendo chances clara de marcar, mas pararam na falta de pontaria e em muitos impedimentos, não conseguindo alterar o resultado da primeira etapa, que só foi terminar aos 56 minutos.
O 1 a 0, que dava o título ao clube de Chapecó, parecia não ser suficiente para os mandantes que iniciaram a segunda etapa com força, ocupando seu campo de ataque, e aos 12 minutos teve uma ótima chance de marcar, com Kempes pegando de primeira após falha de Agenor em escanteio, e Diego Felipe evitando o empate em cima da linha. A pressão alviverde só foi dar resultado aos 23 minutos, quando Bruno Rangel saiu do banco para aproveitar um bom contra-ataque e chutar na saída do goleiro adversário. A final continuou pegada, com muitas chances para os dois lados, mas não houve mais tempo para nova alteração no placar. Desta forma, o jogo terminou empatado em 1 a 1 e a Chapecoense sagrou-se campeã catarinense de 2016.

FICHA TÉCNICA

CHAPECOENSE 1 X 1 JOINVILLE
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 08 de abril de 2016, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Assistentes: Nadine Schramm Câmara Bastos e Kleber Lúcio Gil (ambos de SC)
Cartões Amarelos: Thiego, aos 38 minutos do primeiro tempo; Gil, aos  (Chapecoense); William, aos 38 minutos do primeiro tempo; Edson Ratinho, aos 51 minutos do primeiro tempo, (Joinville)

Gols: Para a Chapecoense, Bruno Rangel, aos 23 minutos do segundo tempo; Para o Joinville, Diego Felipe, aos 41 minutos do primeiro tempo

CHAPECOENSE: Danilo; Gimenez, Thiego, Rafael Lima e Dener Assunção; Josimar, Gil, Cléber Santana, Ananías (Maranhão), Lucas Gomes (Hyoran) e Kempes (Bruno Rangel)
Técnico: Guto Ferreira

JOINVILLE: Agenor; Edson Ratinho, Rafael Donato, Bruno Aguiar e Diego; Diego Felipe (Felipe Alves), Naldo (Kadu), Diones e Pereira; Adriano e Juninho (William Paulista)
Técnico: Hemerson Maria

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply