#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » Protelador de tudo

Quem está lendo esta matéria pode se confundir com um livro, novela, série, daquelas que os capítulos são seguidos, repetitivos e chatos. Mas o Internacional parece gostar de dramas desse tipo. E hoje tem mais capítulo que vamos te contar. Mas antes vamos relembrar o que já aconteceu até aqui. A primeira parte foi lá no dia 1º de dezembro quando o colorado apresentou ao STJD um documento com 42 páginas pedindo para fazer parte no processo que investigou supostas irregularidades na inscrição do zagueiro Victor Ramos, que jogava pelo Bahia. Na época, o time gaúcho que lutava contra o rebaixamento pedia que o tribunal reabrisse o caso para pedir a anulação dos pontos do Vitória nas partidas em que o jogador atuou no Campeonato Brasileiro.
No dia 8 de dezembro, o auditor Glauber Guadelupe, vice-procurador-geral do STJD, arquivou o pedido do Internacional. No dia seguinte, a CBF enviou um ofício ao STJD alegando que os documentos usados pelo no processo em falsos. A entidade pediu a impugnação dos documentos pelo tribunal - que logo foi acatada. Porém, o clube gaúcho afirmou que os documentos era verdadeiros e no dia 12 de dezembro, eles pediram um reexame do caso e uma semana depois, o procurador-geral do STJD, Felipe Bevilacqua, optou por manter o caso arquivado.
E agora no ano em que o campeão de tudo irá disputar a série B, o caso Victor Ramos acaba de ganhar um novo capítulo. O Internacional, através de seu departamento jurídico acionou o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), com sede em Lausanne, na Suíça, para tentar reabrir o processo que foi arquivado pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva. Com isso, o time gaúcho mantém as esperanças de brigar pelos seus direitos e provar que o documento entregue ao STJD, no começo de dezembro do ano passado, eram legítimos. Para a abertura do processo, o clube contratou dois advogados suíços para trabalhar em conjunto com a equipe jurídica em Porto Alegre. O Colorado optou pela ida à Suíça pois não tinha mais instância para recorrer no âmbito nacional.
A história não acabou ainda, mas antes mesmo do desfecho, a moral do Inter está mais perto do fim do que nunca.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply