#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » Camilo foi sacrificado por Montillo

A festa do torcedor do Botafogo foi uma das mais belas que o Estádio Nilton Santos já recebeu e as atuações de Botafogo e Colo Colo foram dignas da emoção que a Libertadores pede. "Lutem por nós" pedia um grande mosaico montado pela torcida do Botafogo antes de a bola rolar, e não faltou o espírito de entrega, raça e nervosismo dos que honraram a camisa alvi-negra. Pela primeira vez Camilo e Montillo atuaram juntos e o esquema montado por Jair Ventura foi esperando que a estrela do camisa 7 brilhasse, mas não foi bem assim, mas ainda nada que impedisse a vitória e a vantagem para a decisão no Chile, na partida de volta desta segunda fase.
A partida começou com o Botafogo pressionando o Colo Colo, mas com a defesa dando espaços para as boas chegadas de Paredes. O clima tenso mostrava que não seria fácil. A equipe chilena parava a partida constantemente aproveitando cada segundo para que o empate persistisse. A retranca adversária apenas foi furada quando em um rebote próximo a entrada da área Airton mostrou aos 38 mil presentes que a regularidade da temporada passada continuava presente em seu futebol, mas desta vez com algo que faltou em 2016, o gol. Ele dominou a menina no peito e mandou certeiro no canto direito de Villar para fazer ferver de vez o sangue nas veias do apaixonado torcedor da estrela solitária. O ritmo da torcida levou ao segundo gol, que após o cruzamento de Camilo chegou aos pés de Rodrigo Pimpão, ele finalizou para a defesa de Villar, mas a bola rebateu em Pavez e entrou contra o próprio gol. A festa era pela vantagem de dois gols, mas a conta ainda não estava fechada. No último lance do primeiro tempo Airton se lesionou, com uma torção no cotovelo esquerdo, ainda a ser avaliada após a partida e não voltou mais para a partida.
A segunda etapa foi marcada pela exposição das limitações do Botafogo. Marcelo foi um gigante na zaga. Salvou contra ataques que pareciam gols. Mas esses ataques da equipe chilena apenas aconteceram pela falta da posse de bola da equipe alvi-negra. Camilo e Bruno Silva foram recuados com Rodrigo Pimpão para uma linha atrasada no meio de campo, com Montillo a frente e mais próximo de Roger. Todos jogavam para fazer a estrela do camisa 7 brilhar. E não brilhou. Jair Ventura mecheu mal, o que não é habito, quando optou pela entrada da revelação Matheus no lugar do camisa 10 e não de Montillo. Camilo vive uma melhor fase técnica e teria que estar mais a frente. O gol de Paredes foi um erro coletivo de uma zaga desatenta. Gol bobo. Mas que pode pesar na somatória dos resultados. Ao final o Botafogo sofreu uma pressão desnecessária, com boas defesas de Gatito e um pênalti não marcado do melhor em campo Marcelo. Ele levou a mão a bola dentro da área claramente. O final foi de aplausos de uma torcida que sabe que eles aonde estiverem continuarão lutando pela camisa da estrela solitária.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 2 X 1 COLO-COLO (CHILE)

Data: 1º de fevereiro de 2017 (quarta-feira)
Local: Estádio Nílton Santos, no Rio de Janeiro (SC)
Árbitro: Juan Soto (Venezuela)
Auxiliares: Luis Murillo (Venezuela) e Elbis Gomez (Venezuela)
Público e renda: 38.357 (34,424 pagantes); R$ 1.898.390,00(
Cartões amarelos: Jonas (BOT); Ramón Fernández, Valdés e Barroso (COL)
Gols: Aírton, aos 30 min do primeiro tempo (BOT); Pavez (contra), aos 40 min do primeiro tempo (BOT); Paredes, aos 6 min do segundo tempo (COL)

Botafogo
Gatito Fernández; Jonas, Marcelo, Emerson Silva e Victor Luís; Aírton (João Paulo), Bruno Silva, Montillo e Camilo (Matheus Fernandes); Rodrigo Pimpão e Roger (Joel)
Técnico: Jair Ventura

Colo-Colo (Chile)
Justo Villar; Zaldívia (Fierro), Barroso e Baeza; Valdés e Pavez; Luis Figueroa, Ramón Fernández (Morales) e Véjar (Christofer González); Rivero e Paredes
Técnico: Pablo Guede

Créditos da imagem: Vitor Silva

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply