#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » "Isto aqui, ô ô É um pouquinho de Brasil iá iá"

A Seleção Brasileira aumenta a cada dia a admiração e o encanto de seu torcedor por um futebol bem jogado até o último minuto de partida. O desafio na Arena de Itaquera na noite desta Quarta-Feira foi como um diamante que precisou ser lapidado a cada minuto diante da obreira zaga paraguaia que se defendia com faltas e esperava uma única oportunidade para que o baile de Assunção acontecesse. Mas a paciência em tocar a bola e pelas triangulações alcançar o gol foi mais uma vez a característica principal da equipe de Tite, profundo conhecedor do palco desta noite. Com mais de 80% de aproveitamento na Arena, quando ainda era comandante do Corinthians, Adenor aplicou números mais portentosos a sua passagem pelo estádio e acrescentou mais uma vitória em sua passagem pela capital paulista. Ao final restaram os gritos eternizados em Telê e agora emprestados ao professor de Caxias, com o seu nome ovacionado e misturado aos gritos de Olé. Com audição afinada, Neymar também recebeu um pouquinho de Brasil pelo carinho da torcida brasileira sentindo junto cada falta sofrida e comemorando os gols feitos, até mesmo o que depois de alguns minutos foi corretamente invalidado. O Verde e Amarelo do Brasil no intervalo da partida se encheu de esperança pelas imagens de crianças desaparecidas que andaram pelas mãos de esportistas ilustres, para que também caminhem de volta ao lar de Brasil iá iá.
A partida se iniciou com a pressão paraguaia atrás da bola e também adiantada sobre o ataque brasileiro que tocava a bola buscando espaço para infiltrar a área do goleiro Silva. Com a ausência de Gabriel Jesus não foram poucas as vezes que Roberto Firmino deixava a grande área para levar a marcação e permitir os avanços de Paulinho e Renato Augusto. Assim nasceu o primeiro gol brasileiro, com uma troca de passes entre Paulinho e Philippe Coutinho pela ponta direita, para o camisa 11 brasileiro chutar de pé direito no canto esquerdo do gol adversário. Sem força e com muita técnica. Um pouquinho de Brasil. Que canta e é feliz para embalar o líder isolado das Eliminatórias com 33 pontos para um segundo tempo ainda melhor e que teve Neymar como protagonista.
O camisa 10 da seleção brasileira começou os 45 minutos finais com corridas do meio de campo dominando a bola e partindo para dentro da pequena área pela ponta esquerda. E três delas renderam a sensação de que ninguém iria poder segura-lo. A não ser Silva. O goleiro paraguaio comprovou a velha máxima de que pênalti que não foi também não entra. O brasileiro convenceu a arbitragem peruana de que havia sofrido uma penalidade logo nos primeiros minutos e quando colocou a menina no canto esquerdo do gol de Silva, lá estava o goleiro paraguaio para espalmar e evitar o segundo gol brasileiro. Mas ele não impediu o lance seguinte, onde Neymar balançou as redes. Então o impedimento parou aquele que vem sendo apontado pela crítica o melhor jogador em atividade no mundo desde a histórica goleada sobre o PSG, de Thiago Silva, que entrou na segunda etapa substituindo seu companheiro de clube francês Marquinhos, que sentiu uma fisgada na coxa. Nada demais a lesão. Tudo de mais o enfim segundo gol de Brasil iá iá. Neymar canta e é feliz para comemorar mais uma de suas arrancadas rumo ao Hexa e agradecer o desvio da zaga paraguaia que levou a bola ao gol após mais um chute genial. O terceiro gol antecedeu em segundos a entrada de Diego Souza e Willian no lugar da dupla do Liverpool Phellipe Coutinho e Firmino. Marcelo, Paulinho e Philippe Coutinho tabelaram em uma linda triangulação, finalizada em cavadinha do lateral para o fundo do gol paraguaio. A redenção que abre 2018 sem nenhum sabor do gol contra do próprio Marcelo a abrir a Copa de 2014 contra a Croácia, na mesma casa de espetáculos dessa noite.
A festa foi completa e somente em 31 de Agosto voltará a acontecer pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo, no Maracanã ou em Porto Alegre contra o Equador. O território definido mesmo é apenas o da retina do torcedor brasileiro, de onde não sairão jamais as lembranças de mais uma jóia que Tite lapidou para os autos da história canarinho. A nona vitória em nove jogos. O vigésimo quarto ponto somado em vinte e quatro disputados. O amor pela amarelinha reconquistado no orgulho do comprometimento em campo e das vitórias somadas. Neymar apanhou em demasiada nos 90 minutos, revelando mais uma vez o quanto ele continua sendo o responsável por quebrar as marcações, idéias e táticas adversárias. E ainda foi sem Jesus. Com ele os milagres hão de se multiplicar daqui até a Rússia, onde oficialmente o Brasil chega com a vitória do Peru sobre o Uruguai e moralmente sobrevoa desde já como um carinho a ser Isto aqui, ô ô.

FICHA TÉCNICA
BRASIL 3 x 0 PARAGUAI

Data/Horário: 28/3/2017, terça-feira, às 21h45
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Árbitro: Victor Carrillo (PER)
Assistentes: Jonny Bossio (PER) e Coty Carrrera (PER)
Renda e público: 44.378 pagantes / R$ 12.323.925,00

Cartões amarelos: Valdez, Rojas, Domínguez (PAR)
Cartões vermelhos: -

Gols: Philippe Coutinho, aos 33'/1ºT (1-0); Neymar, aos 18'/2ºT (2-0); Marcelo, aos 40'/2ºT (3-0)

BRASIL: Alisson, Fagner, Marquinhos (Thiago Silva - Intervalo), Miranda e Marcelo; Casemiro; Philippe Coutinho (Willian - 43'/2ºT), Paulinho, Renato Augusto e Neymar; Roberto Firmino (Diego Souza - 43'/2ºT). Técnico: Tite.

PARAGUAI: Antony Silva, Valdez, Paulo da Silva, Verón e Alonso; Riveros e Rojas; Pérez, Almirón (Óscar Romero - Intervalo) e Domínguez (Ángel Romero - 31'/2ºT); Derlis González (Santander - 10'/2ºT). Técnico: Chiqui Arce.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply