#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » » Máquina do Tempo: Palmeiras x Santos na final do Paulista de 1959

Em seus auges, Palmeiras e Santos tiveram grandes clássicos. Para nos preparamos para o encontro de ambas as equipes no Domingo, 19 de março de 2017, vamos relembrar a última vez antes da Copa do Brasil de 2015 que eles decidiram um título. O Santos de Pelé teve como principal rival a Academia do Palmeiras. Não à toa, os esquadrões monopolizaram a taça do Paulistão entre 1958 e 1969, com nove conquistas alvinegras e três alvinegras. Também se mantiveram no topo das competições nacionais, ao dividirem entre si sete títulos da Taça Brasil (cinco santistas) e três do Robertão (dois palmeirenses) na década de 1960. Além, é claro, de protagonizarem jogos espetaculares.
O momento mais memorável aconteceu em janeiro de 1960. Em tempos nos quais o Campeonato Paulista era disputado por pontos corridos, o Santos do jovem Pelé terminou com a mesma pontuação da primeira geração da Academia do Palmeiras, de Julinho e Djalma Santos. A igualdade forçou os timaços a disputarem jogos de desempate. E foram necessários três encontros para que, finalmente, a taça ganhasse dono. Uma campanha épica que acabou consagrada como o Supercampeonato de 1959.
Durante o primeiro jogo, Pelé e Zequinha balançaram as redes no empate por 1 a 1. O segundo contou com o placar de 2 a 2. Pepe abriu o marcador, Getúlio e Chinesinho viraram, mas o próprio Canhão da Vila buscou a igualdade no final. Por fim, o Palmeiras consumou o título no Pacaembu lotado, em 10 de janeiro de 1960, justo quando os alvinegros contavam com a volta do veterano Jair da Rosa Pinto – substituído nos primeiros duelos pelo garoto Coutinho. Pelé deixou os santistas em vantagem naquela decisão, mas Julinho Botelho e Romeiro garantiram a festa alviverde. O troco do Peixe viria apenas nas edições seguintes do Paulistão, tricampeão estadual. Uma história para ser recontada várias vezes, especialmente no dia em que Palmeiras e Santos se reencontram em uma final do Paulista.

As escalações nos três jogos:

05/01/1960 – Santos 1×1 Palmeiras (Pacaembu)
Gols: Pelé, 22’/1T; Zequinha, 34’/1T

Palmeiras: Valdir de Moraes; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Américo Murolo, Romeiro e Géo. Técnico: Osvaldo Brandão.

Santos: Laércio; Feijó, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.

07/01/1960 – Palmeiras 2×2 Santos (Pacaembu)
Gols: Pepe, 25’/1T e 35’/2T; Getúlio (contra), 3’/2T; Chinesinho 5’/2T

Palmeiras: Valdir de Moraes; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Américo Murolo, Romeiro e Nardo. Técnico: Osvaldo Brandão.

Santos: Laércio; Feijó, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Urubatão, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.

10/01/1960 – Palmeiras 2×1 Santos (Pacaembu)
Gols: Pelé, 14’/1T; Julinho Botelho, 43’/1T; Romeiro, 3’/2T

Palmeiras: Valdir de Moraes; Djalma Santos, Valdemar Carabina, Aldemar e Geraldo Scotto; Zequinha e Chinesinho; Julinho Botelho, Américo Murolo, Romeiro e Nardo. Técnico: Osvaldo Brandão.

Santos: Laércio; Urubatão, Getúlio e Dalmo; Formiga e Zito; Dorval, Jair Rosa Pinto, Pagão, Pelé e Pepe. Técnico: Lula.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply