#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » Ponte, macaca querida, é finalista do Campeonato Paulista de 2017

O grito entalado a 117 anos na garganta do torcedor da Ponte-Preta está a dois jogos de ser solto para todo o estado de São Paulo. Após eliminar o Santos, dessa vez a Macaca deixou o valioso Palmeiras nas semifinais do Campeonato Paulista de 2017 para alçar vôos rumo a decisão do estadual mais disputado do país. Quanto ao Palmeiras, fez o que se esperava de um time que joga em casa precisando marcar gols. Alugou o meio de campo da Ponte Preta, ora pela direita, ora pela esquerda, abusando das bolas levantadas na área em demasia, foram 60 no total, e virando todas para o gol. Mas fez apenas um gol. A vitória por 1 a 0 não foi suficiente para tirar o rival, que fizera 3 a 0 em Campinas, da final do Paulistão. Agora, aguarda o finalista do confronto entre Corinthians e São Paulo, em Itaquera.
O Palmeiras começou a partida pressionando a Ponte Preta desde o primeiro minuto. Róger Guedes cruzou bola da direita para Guerra, que cabeceou no chão, exigindo ótima defesa de Aranha. Em novo lance pelo alto, o Palmeiras levou perigo aos seis minutos. Egídio cobrou falta da esquerda, a zaga da Ponte Preta afastou e, na sequência, Tchê Tchê levantou a bola na área. Róger Guedes subiu bem e cabeceou no canto, mas a bola saiu tirando tinta da trave. Com 13 jogados, Artur roubou a bola de Róger Guedes, que ficou pedindo falta, e saiu em contra-ataque. O lateral abriu para Lucca pela esquerda e o atacante cruzou no segundo poste. Egídio não conseguiu cortar de cabeça e Pottker limpou o lance e bateu de canhota, mas a bola passou à direita de Fernando Prass. Na marca dos 20, o Palmeiras perdeu mais duas oportunidades por problemas na finalização. Primeiro, Jean cruzou para Róger Guedes na área, e o camisa 23 girou sobre a marcação, mas chutou fora. Na sequência, Dudu deu enfiada espetacular para o lateral-direito, que dominou na área, mas demorou para finalizar e foi desarmado. O Palmeiras finalmente conseguiu balançar as redes aos 31 minutos, mas a arbitragem anulou o lance. Dudu recebeu lançamento de Edu Dracena e finalizou bem com a perna direita, mas estava em impedimento e arbitragem impugnou corretamente a jogada. Aos 35, Mina disputou bola no alto com o goleiro alvinegro, que não foi bem no lance e largou a redonda nos pés de Miguel Borja. Sem ângulo, o colombiano chutou no travessão e a bola acabou saindo. Quatro minutos depois, Egídio cruzou na área, Artur afastou, e Guerra chutou de primeira no rebote. A bola explodiu em Borja, mas voltou para o venezuelano, que finalizou de novo, mas Aranha fez uma defesa espetacular.
Aos sete minutos da segunda etapa, Egídio cruzou na área, Edu Dracena subiu muito e cabeceou, mas a bola caiu por sobre a rede, triscando o travessão. Aos dez, o Palmeiras quase mandou a bola para as redes. Egídio cruzou da esquerda, Aranha não conseguiu tirar de soco e Borja e Mina subiram de cabeça, mas não alcançaram a bola. A torcida passou a pedir a entrada de Willian e, pouco depois, Eduardo Baptista colocou Bigode em campo no lugar do centroavante Miguel Borja. O colombiano saiu de campo vaiado e reclamando da alteração com a fala: "Sempre eu". Aos 37 minutos, Michel Bastos cobrou escanteio na área, Aranha saiu mal de novo e a bola sobrou para Felipe Melo. O volante foi pego de surpresa e usou a cintura para mandar a abola para as redes. Aos 47,  Pottker se aproveitou da pressão palmeirense, roubou a bola e avançou sozinho, desde o meio-campo. O camisa 9 ficou cara-a-cara com Fernando Prass, tentou driblar o goleiro, mas o camisa 1 fez a última alegria da até então melhor equipe do campeonato, o eliminado Palmeiras.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS - Fernando Prass; Jean, Mina, Edu Dracena e Egídio (Keno); Felipe Melo; Roger Guedes, Tchê Tchê (Michel Bastos), Guerra e Dudu; Borja (Willian). Técnico: Eduardo Baptista.

PONTE PRETA - Aranha; Jeferson (Naldo), Marllon, Yago e Artur; Fernando Bob, Elton e Jadson (Wendel); Clayson (Lins), Lucca e Pottker. Técnico: Gilson Kleina.

GOL - Felipe Melo, aos 37 minutos do segundo tempo.
ÁRBITRO - Raphael Claus.
CARTÕES AMARELOS - Felipe Melo, Marllon, Dudu, Fernando Bob e Guerra.
RENDA - R$ 2.912.614,52
PÚBLICO - 39.086 pessoas.
LOCAL - Allianz Parque, em São Paulo.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply