#futebolrc

    ...
... ... ... ... ...

Notícias

Rádios
Rádios
Rádios
Rádios
» » » » Lucas Pratto: "A saída do treinador é responsabilidade dos jogadores"

Primeiro atleta do São Paulo a se pronunciar oficialmente após a queda de Rogério Ceni, o atacante Lucas Pratto esteve em coletiva de imprensa no CT da Barra Funda e aqui abrimos aspas:

Responsabilidade dos jogadores

Toda saída de treinador é responsabilidade nossa, dos jogadores.  O momento não é como pensávamos quando começamos o Brasileiro, ou nos Estados Unidos. A verdade é que foi um golpe forte, muito triste para nós. Só temos de trabalhar e não temos tempo de nos lamentar, precisamos corrigir os erros e conseguir os resultados por nós e pela comissão técnica que foi demitida.

Desempenho dentro de campo

O desempenho dentro de campo foi muito ruim. Abaixo da expectativa nossa. Coletivamente e taticamente. Não conseguíamos fazer o que treinávamos. O Rogério é muito capacitado e estava preparado. A verdade é que não conseguimos ajudá-lo dentro de campo coletivamente e emocionalmente. Cada vez que  o time tomava um gol não conseguia reagir. No último fim de semana foi claro.

Declarações de Leco

Essa pergunta da diretoria não é para mim que você deve fazer. As coisas da diretoria, do time, do clube, são deles, não dos jogadores. Posso ter meus pensamentos, mas as respostas deles são pura e exclusivamente deles.

Pintado

Se a saída de Ceni pode ser positiva, depende muito se conseguirmos resultados rápidos, independentemente de quem seja o treinador. Temos de trabalhar essa semana, mesmo porque devemos não ter treinador até domingo. Temos de fazer tudo o que o Pintado pede. E ter a confiança em nós mesmos. Somos nós que estamos em campo, nós que ganhamos ou perdemos os jogos. Depois, o treinador e a diretoria que podem contratar mais jogadores ou não, mas quem são os responsáveis somos nós.

Chegada do novo treinador

Desanimar, não me desanima nada. Se eu tivesse desanimado por derrotas, maus momentos, tenho de deixar de ser jogador. Lamentavelmente, estou triste porque se foi um grande treinador, uma grande pessoa, com uma comissão técnica muito capacitada, que se doava muito. E nós não conseguimos. Mas seja quem for que chegar, temos de nos animarmos, porque precisamos de vitória rápida.

Momento de mudança

Joguei em um time que recém subiu, que depois jogou final contra o São Paulo, o Tigre. Jogou na Série A depois de 30 anos na B. E joguei, com muita coisa ruim na Argentina. Eu não tenho medo de dar a cara em nenhum momento. O que temos é de mudar muito nosso pensamento, nosso compromisso. Temos de melhorar muito.

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Leave a Reply