Colunas

O Grêmio é campeão da Recopa Sul-Americana nos pênaltis

Na noite dessa quarta-feira, em Porto Alegre, contra o Independiente, o Grêmio não conseguiu a vitória no tempo regulamentar, nem na prorrogação, mas venceu nos pênaltis, quando Marcelo Grohe defendeu a última cobrança dos argentinos, que coube a Benítez, e deu a vitória por 5 a 4 ao Tricolor Gaúcho depois do persistente 0 a 0. É o Grêmio campeão da Copa do Brasil em 2016, campeão da Copa Libertadores em 2017 e agora campeão da Recopa Sul-Americana em 2018, de novo em cima do Independiente, como em 1996.
Aos sete minutos, Everton saiu cara a cara com o gol, driblou o goleiro Campaña e bateu para as redes, mas Amorabieta salvou em cima da linha. Em pouco tempo, o clima esquentou e o árbitro começou a distribuir cartões amarelos. Foram seis ao todo só na primeira etapa. Assim como no duelo na Argentina, o árbitro de vídeo voltou a trabalhar na final da Recopa. Dessa vez para analisar uma solada do zagueiro Fernando Amorebieta em cima de Luan, que ficou com a marca das travas nas costelas. Depois de ser chamado pelo VAR uruguaio Andrés Cunha, o árbitro paraguaio Enrique Cáceres assistiu ao lance novamente e rapidamente concluiu que o argentino agrediu Luan. Amorebieta foi expulso de forma direta, assim como aconteceu com o centroavante Emmanuel Gigliotti no duelo de ida, também pouco antes do intervalo.
Se o Grêmio não soube usar a vantagem numérica jogando em Avellaneda, não foi diferente nessa quarta, em Porto Alegre. Com exceção a uma grande chance de Everton, que culminou na defesa de Campaña, o time de Renato Gaúcho teve muita dificuldade em criar oportunidades e parou na forte defesa argentina, que conseguiu levar a decisão à prorrogação.
Mesmo com um jogador a menos, desgastado e fora de casa, o Independiente jogou com muita sabedoria e encarou o Grêmio de igual para igual no tempo extra. Jael chegou a cabecear uma bola no travessão, mas Romero também teve uma chance incrível, de dentro da pequena área, e furou. O árbitro Enrique Cáceres não teve coragem de dar um pênalti claro para o Grêmio em jogada que Jael foi empurrado nas costas ao saltar para escorar cruzamento à área. O segundo tempo da prorrogação mostrou que o fato do Independiente estar em meio de temporada acabou sendo fundamental para a equipe argentina suportar o cansaço diante do Grêmio, que apesar de ter um jogador a mais por tanto tempo, não conseguiu se sobressair na parte física, já que seus principais jogadores voltaram da pré-temporada há apenas um mês.
Com direito a uma defesaça de Campaña em cobrança de falta de Jael que contou com desvio na barreira, os visitantes não sofreram mais do que esperavam. E por pouco não conseguiram um gol heróico em cobrança de escanteio. Meza cabeceou livre e viu a bola raspar a trave de Grohe, que já estava batido. 
Nos pênaltis, só um falhou. Depois de Maicon, Cícero, Jael, Everton e Luan converterem suas cobranças, assim como Fernando Gaibor, Maxiliano Meza, Domingo e Romero pelo Independiente, Benítez foi o encarregado para o último chute e parou nas mãos de Marcelo Grohe, que espalmou a bola para o travessão e deu início a uma grande festa.

FICHA TÉCNICA
GRÊMIO 0 (5) X (4) 0 INDEPENDIENTE-ARG

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Data: 21 de fevereiro de 2018, quarta-feira
Horário: 21h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Enrique Cáceres (PAR)
Assistentes: Eduardo Cardozo (PAR) e Juan Zorrilla (PAR)
VAR: Andrés Cunha (URU)
Público: 42.921 torcedores ao todo (40.009 pagantes)
Renda: R$ 1.964.449,00
Cartões amarelos: Paulo Miranda, Geromel, Alisson (GRE); Gastón Silva, Gaibor, Diego Rodríguez (IND)
Cartão vermelho: Fernando Amorebieta (IND)

PÊNALTIS
Grêmio: Maicon, Cícero, Jael, Everton, Luan (Acertaram)
Independiente: Fernando Gaibor, Maxiliano Meza, Domingo, Romero (Acertaram) Benítez (Errou)

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Léo Moura (Paulo Miranda), Geromel, Kannemann e Cortez (Lima); Maicon, Jailson (Jael), Alisson (Maicosuel), Luan e Everton; Cícero
Técnico: Renato Gaúcho

INDEPENDIENTE: Campaña; Fabricio Bustos (Gutiérrez), Alan Franco, Fernando Amorebieta e Gastón Silva; Domingo, Diego Rodríguez (Benítez), Fernando Gaibor, Maxiliano Meza e Jonathan Menéndez (Romero); Leandro Fernández (Figal)
Técnico: Ariel Holan

Foto: Itamar Aguiar/AFP

Nenhum comentário