Notícias

Corinthians sofre, marca nos acréscimos e elimina São Paulo nos pênaltis


Na noite desta quarta-feira (28) na Arena Corinthians o Timão derrotou o Tricolor por 1 a 0 com gol de Rodriguinho nos acréscimos. Nos pênaltis Cássio pegou duas para classificar o Timão para mais uma final do Paulistão. Agora o Corinthians enfrentará o Palmeiras nas finais do campeonato paulista. Dia 31/03 (sábado), as 16:30 horas na Arena Corinthians. O jogo de volta será no Allianz Parque dia 08/03 (domingo) as 16 horas.  

O jogo
Como se esperava, o jogo começou tenso e muito disputado. Jogadores se desentendendo, são-paulinos buscando arrumar confusão e corintianos tentando trabalhar a bola no ataque.
O São Paulo parecia mais ligado na partida, mais centrado, enquanto os donos da casa pareciam sentir a pressão do placar desfavorável. O primeiro lance de grande perigo aconteceu somente aos 33 minutos. Bola que sobrou na área para Emerson Sheik após cobrança de escanteio. O chute saiu com perigo a direita de Sidão.

Paulatinamente, o alvinegro buscava seu jogo, girando a bola e tentando romper a forte marcação tricolor. Faltava acelerar o jogo. O São Paulo marcava bem, mas errava passes ao tentar puxar contra-ataques.

Somente aos 40 minutos surgiram as primeiras chances mais claras de gol. Após vacilo do setor de meio de campo do Timão, Tréllez recebeu passe perfeito de Petros, e saiu livre em direção ao gol. Cássio saiu da meta para salvar com os pés, de carrinho. Em seguida, boa trama do ataque corintiano, Fagner cruzou rasteiro, mas Sheik livre chutou pelo alto. Aos 44, jogada individual de Liziero, a bola cruzou toda a área e Militão chutou para boa defesa de Cássio. Sobrava transpiração, e faltava inspiração.

Na volta do intervalo, o Corinthians veio disposto a pressionar. O domínio, porém, era apenas territorial. Mas novamente, chute com perigo ao gol foi dado pela Tricolor. Aos 5 minutos, Nenê livre de marcação chuta com perigo. A bola passou perto da trave. O troco veio quatro minutos depois com chute de Clayson a direita de Sidão.

Os donos da casa seguiam com posse de bola, mas não ameaçava o gol do São Paulo. Seguiam tocando a bola de um lado para o outro, mas sem causar danos aos são-paulinos.
Mas clássico é sempre imprevisível. Cobrança de escanteio aos 47 minutos, e cabeceio letal de Rodriguinho para levar a decisão para os pênaltis.

Rodriguinho marca nos acréscimos, leva decisão para os pênaltis e Timão se classifica

Opinião:
Ficou mais uma vez evidenciada a necessidade corintiana de um centroavante. Frente a um adversário como foi o São Paulo hoje, fechado, marcando forte e bloqueando a entrada da área, o time da casa por algumas vezes jogou a bola para dentro da grande área, mas não tinha um 9 sequer para tentar empurrar uma bola para o gol. Mais uma vez faltou criatividade, aceleração de jogo e poder de fogo ao ataque. A estratégia do São Paulo vencia as limitações do time alvinegro até os 47 do segundo tempo. Quando Rodriguinho marcou o gol da vitória, e levou a decisão para os pênaltis, a Fiel torcida inflamou a Arena e aí prevaleceu a supremacia corintiana frente ao seu rival tricolor na arena. Destaque individual fica para o goleiro Cássio, que foi do lado certo em todas as cobranças.


FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 0 SÃO PAULO (5x4 nos pênaltis)
Local: Arena Corinthians, São Paulo (SP)
Data: 28 de março de 2018 (quarta-feira)
Horário: 21h45 (de Brasília)
Público: 43.062 torcedores Renda: R$ 2.603.440,00
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Daniel Paulo Ziolli
Gol: Rodriguinho 47’ do 2º tempo

Disputa de Pênaltis:

                                           CORINTHIANS 5 x 4 SÃO PAULO


Cartão amarelo: Rodriguinho, Fagner, Henrique (Corinthians)
                            Reinaldo, Sidão, Caíque (São Paulo)

CORINTHIANS: Cássio, Fagner (Mantuan), Pedro Henrique, Henrique e Sidcley; Gabriel (Pedrinho) e Maycon; Mateus Vital, Rodriguinho e Clayson; Emerson Sheik (Danilo).
Treinador: Fábio Carille

SÃO PAULO: Sidão, Militão, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Jucilei, Petros e Liziero; Marcos Guilherme (Caíque), Nenê (Lucas Fernandes) e Tréllez (Diego Souza).
Treinador: Diego Aguirre


Nenhum comentário